sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Show Aerosmith e Whitesnake - Curitiba

Dois ícones do Hard Rock dividiram o palco na noite desta terça-feira (15/10) no BioParque: a banda britânica Whitesnake e a norte-americana Aerosmith.
Os veteranos do Aerosmith começaram a turnê "The Global Warming World Tour" e apesar do frio e da garoa, o público compareceu em bom número para prestigiar um dos maiores nomes do Hard Rock, que continuam mais vivos do que nunca e cheios de disposição.
A abertura ficou por conta de Whitesnake, banda formada no fim da década de 1970, que traz como traço característico canções que falam de amor com um Hard Rock mais pesado.
A formação atual da banda é composta por David Coverdale (vocal e guitarra), Doug Aldrich (guitarra principal), Reb Beach (guitarra), Michael Devin (baixo) e Tommy Aldridge (bateria), que juntos elevam o Hard Rock a um patamar jamais alcançado por outra banda do Reino Unido.


O Whitesnake, com mais de 35 anos de estrada, ficou com a função de abrir a noite às 20h 45 e tocou por aproximadamente uma hora, focando principalmente nos seus grandes clássicos da década de 80. Das 14 músicas apresentadas (entre trechos e versões completas), incluindo as canções do Deep Purple e duas do mais recente trabalho, todo o resto foi gravado no máximo até 1987.


E para abrir, veio uma música do disco que leva o nome do ano recém citado, chamada “Give Me All Your Love”, que funcionou muito bem como abertura. “Are you Ready An Willing?", com esta frase o vocalista David Coverdale chamou “Ready An Willing”, do disco homônimo. Com o Whitesnake apostando em alguns medleys, o show foi enérgico do começo ao fim e mesmo nas músicas novas, “Love Will Set You Free” e “Steal Your Heart Away”, o público permaneceu atento ao palco.
Todos os integrantes da banda tiveram seus solos individuais, com destaque para o duelo entre os guitarristas Doug Aldrich e Reb Beach e o solo do baterista Tommy Aldridge, que literalmente espancou a bateria, após arremessar suas baquetas para a platéia.


O clima em cima do palco era ótimo, com David Coverdale fazendo caras e bocas e até brincadeiras com seus músicos, como quando parafraseou um de seus grandes sucessos ao abraçar o barbudo baixista Michael Devin: “Is This Beard?” disse, antes de cantarolar a melodia de “Is This Love”. Após as execuções enérgicas de “Fool For Your Loving” (apenas um trecho), “Here I Go Again” e “Still Of The Night”, a banda encerrou seu show relembrando sons do Deep Purple, banda que Coverdale cantou antes de formar o Whitesnake. Ele cantou a cappella a belíssima “Soldier Of Fortune” antes de tocarem “Burn”, clássico infelizmente esquecido pelo Deep Purple após o retorno de Gillan, que ainda teve no meio uma parte de “Stormbringer”.


Enfim, um show compacto, repleto de clássicos do ápice da carreira do Whitesnake e ainda com tempo para duas músicas no magnífico "Forevermore" (2011) e para canções memoráveis dos tempos do Deep Purple.
A banda estava empolgada e David Coverdale estava com a voz tinindo e após um problema sério na garganta, parecia que ele tinha esquecido que tem 62 anos. Chamava o público o tempo inteiro, girava o pedestal, fazia caras e bocas, como pede um bom show de rock e ao contrário das apresentações de 2011 quando a banda britânica abriu para o Judas Priest, as músicas foram executadas no tom original.
Às 22h50 subiu ao palco a maior autoridade no gênero em atividade depois de uma introdução apocalíptica no telão em referência à "The Global Warming Tour", chegava a hora do Aerosmith. Por duas horas, Steven Tyler, o guitarrista Joe Perry e os demais integrantes da banda mostraram uma performance incrível, com muita boa música e disposição.


Após uma abertura triunfal, com Steven Tyler e Joe Perry em uma passarela que invadia o público, os músicos esbanjaram simpatia e Tyler conversava e provocava o público a cada hit.



Eles trocaram a abertura novamente e no lugar da esperada “Draw The Line”, veio a igualmente ótima “Let The Music Do The Talking”, música do Joe Perry Project, que a banda regravou em "Done With Mirrors", em 1985. Seguiram com “Love In An Elevator” e a pesada “Toys In The Attic”, onde Steven Tyler conseguiu colocar o nome de Curitiba no meio do refrão, além de se aproximar do baixista substituto David Hull (Tom Hamilton teve problemas de saúde) para cantar junto com ele. O vocalista e o guitarrista Joe Perry ficaram boa parte da apresentação na passarela que saia do centro do palco e entrava no meio da pista Premium. Em "Oh Yeah", a única do no disco "Music From Another Dimension", os dois foram ao encontro dos colegas.



Com tanto anos de estrada, deve ser difícil elaborar um setlist que englobe toda a carreira, e por isso analizando os setlists de shows anteriores, a banda fez diversas modificações, optando sempre por manter os clássicos, é claro.
Nesse ínterim, o excelente álbum "Nine Lives" teve apenas uma representante: a dançante “Pink”. Além desse, outros álbuns tiveram apenas uma música tocada: "Jaded" do "Just Push Play", a empolgante e indispensável “Dude (Looks Like An Lady)” do "Permanent Vacation" e por fim "Last Child” do álbum "Rocks".


O Aerosmith não deixou de lado os clássicos e grandes sucessos como “Same Old Song And Dance” e “Last Child” e até baladas indispensáveis como “What It Takes” (onde Tyler cantou os primeiros versos sem acompanhamento), “Cryin” e “I Dont Want To Miss A Thing”. Steven disse que adorava falar a palavra “Curitiba”: “Parece algo que você diz na cama para a sua namorada... Show me your Curitiba!” (me mostre seu Curitiba)
Para o final, entre hits como “Walk This Way”, houve espaço para dois covers, “Come Together”, do Beatles, e "Mother Popcorn", de James Brown.



Após intervalo, os técnicos trouxeram um belíssimo piano branco para o centro e o Bis começou com a soberba “Dream On”, com Tyler e Perry novamente na passarela e “Sweet Emotion”, a música de encerramento de todos os shows recentes do Aerosmith.


Quando muitos, inclusive eu, já se preparavam pra sair, a banda, visivelmente feliz com a recepção do público, inesperadamente adicionou ao set list “Crazy” e o público foi ao delírio. Durante a apresentação, apareceu alguém segurando uma placa escrito “Movin Out” e o Aerosmith resolveu atender o pedido. Não satisfeitos em fazer um show magnífico e adicionar músicas de última hora, eles ainda tiveram energia para mandar uma excelente versão para “Train Kept A-Rollin”, encerrando de vez mais um show histórico na capital paranaense.




E apesar de uma notável falha técnica na qualidade do som (graças a Prime, depois do atraso e falha do som dos Scorpions em 2010), muito baixo para quem estava longe do palco e que comprometeu diversos agudos oferecidos com esmero por Tyler, sem falar nos riffs de Perry que quase não se ouviam, os fãs saíram satisfeitos do BioParque (ou brejo). O público de aproximadamente 20 mil pessoas pode se considerar privilegiado com uma autêntica aula de Hard Rock dada pelo Whitesnake e Aerosmith.


E para Luigi Poniwass, do jornal  A Gazeta do Povo, "Eles podem não ter mais tanta energia quanto antigamente, nem serem os galãs de trinta anos atrás, mas o fato é que o os sessentões David Coverdale (e seus companheiros de Whitesnake), Steven Tyler, Joe Perry, e o Aerosmith, ainda têm muita bala na agulha, talento de sobra, saúde e experiência para divertir multidões ao redor do mundo."
Depois de Curitiba, eles seguem para o Rio de Janeiro, hoje (18/10), em São Paulo, no dia 20, como uma das principais atrações do Mosnters Of Rock, e finalizando em Brasília, no dia 23.

Setlists
Whitesnake
1) Give Me All Your Love - Whitesnake - 1987
2) Ready an’ Willing - Ready an’ Willing - 1978
3) Love Ain’t No Stranger - Slide In - 1984
4) Is This Love - Whitesnake - 1987
5) Slide It In/Slow an’ Easy - Slide In - 1984
6) Love Will Set You Free - Forevermore - 2011
7) “Steal Your Heart Away”- Forevermore - 2011
8) “Fool For Your Loving”- Ready an’ Willing - 1978
9) “Here I Go Again” - Saints & Sinners - 1982
10) “Still of the Night” - Whitesnake - 1987
11) "Soldier Of Fortune" - Strombringer - 1974 (Deep Purple)
12) “Burn” - Burn 1974 (Deep Purple)
12) ”Stormbringer” -  Strombringer 1974 (Deep Purple)

Aerosmith
1) “Let The Music Do The Talking” - Done with Mirrors - 1985
2) “Love in an Elevator” - Pump - 1989
3) “Toys in the Attic” - Toys In The Attic - 1975
4) “Oh Yeah” - Music From Another Dimension! - 2012
5) “Pink” - Nine Lives - 1997
6) “Dude (Looks Like a Lady)” - Permanent Vacation - 1987
7) “Same Old Song and Dance” - Get Your Wings - 1974
8) “Cryin’” - Get a Grip - 1993
9) “Last Child” - Rocks - 1976
10) “Jaded” - Just Push Play - 2001
11) “Combination” - Rocks - 1976
12) “What it Takes” - Pump - 1989
13) “Livin’ on the Edge” - Get a Grip - 1993
14) “I Don’t Wanna Miss a Thing” - Nine Lives - 1997
15) “No More No More” - Toys in the Attic - 1975
16) “Come Together” - Live Bootleg - 1978
17) “Walk This Way” - Toys in the Attic - 1975
Bis:
18) “Dream On” - Aerosmith - 1973
19) “Sweet Emotion” - Toys in the Attic - 1975
20) “Crazy” - Get a Grip - 1973
21) “Movin’ Out” - Aerosmith - 1973
22) “Train Kept A-Rollin’” - Get Your Wings - 1974

Mais informações sobre as bandas:
http://devoltaparaovinilcolecao.blogspot.com.br/2012/08/big-ones-aerosmith-vinil-resenha.html
http://devoltaparaovinilcolecao.blogspot.com.br/2012/04/discografia-whitesnake-resenha.html

Mais vídeos e fotos em aerworld.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário