quarta-feira, 29 de abril de 2015

Dia Nacional do Choro no Canal da Música - Homenagem à Dominguinhos e Romano Nunes "Cabelo"

No dia 23 de abril é comemorado o dia Nacional do Choro e para homenagear os grandes compositores e intérpretes do Choro, em especial o instrumentista, cantor e compositor brasileiro Dominguinhos e o instrumentista, violinista e compositor brasileiro Romano Nunes "Cabelo", o Canal da Música nos presenteou com uma belíssima Roda de Choro com o músicos:
  • Daniel Migliavacca - Bandolim;
  • João Egashira - Violão;
  • Lucas Miranda - Cavaco
  • Lucas Melo - Violão de 7 cordas;
  • Ricardo Salmaso - Pandeiro e vocal;
  • Ana Paula Peters - Apresentação.
O grupo tocou alguns composições conhecidas de Jacob do Bandolim, Chiquinha Gonzaga e Waldir Azevedo. Na sequência tocou quatro belíssimas composições de dois integrantes do grupo, Daniel Migliavacca e Lucas Miranda respectivamente. Além de duas músicas dos homenageados da noite, Dominguinhos e "Cabelo".


Por fim, fecharam a boite com chave de ouro com "Carinhoso", do saudoso Pixinguinha, com a pequena platéia cantando e acompanhando a melodia.
Foi uma noite muito agradável e marcante, pois consegui levar dessa vez meus avós para assistir e relembrar essas belíssimas composições.
Confira as fotos do grupo.






Fotos: Diego Kloss 



Fotos: Diego Kloss 




Fotos: Diego Kloss 

Saiba um pouco mais sobre o Choro
O Choro, popularmente chamado de chorinho, é um gênero de música popular e instrumental brasileira.
O músico, compositor ou instrumentista, ligado ao choro é chamado chorão. Característica freqüentemente apreciada no choro é o virtuosismo dos instrumentistas, bem como a capacidade de improvisação dos executantes.
As rodas de choro são reuniões mais informais de chorões, muito diferentes de apresentações e shows. Geralmente acontecem em bares, na própria casa dos músicos e em pequenos auditórios. Não existe uma formação específica e os músicos que vão chegando se juntam à roda.
O conjunto é geralmente formado por um ou mais instrumentos melódicos como a flauta, bandolim e cavaquinho, instrumentos harmônicos como o violão e o violão de 7 cordas e instrumentos rítmicos como o pandeiro. Existem outros instrumentos que também podem ser integrados a roa de Choro como Saxofone, Trombone, Piston, Piano, Sanfona, Rabeca, Reco-Reco, Canzá, Chocalho, entre outros.
O choro não se caracteriza por um ritmo específico, mas pela maneira de se tocar solta e sincopada, repleta de ornamentos e improvisações. Assim, é muito vasta a gama de ritmos nos quais se baseiam os compositores de choro. Dentre os principais ritmos utilizados, pode-se citar o maxixe, o samba, a polca e a valsa, dando origem, assim, ao ‘’samba-choro’’, à ‘’polca-choro’’ e à ‘’valsa-choro’’ (com relação ao maxixe, não é utilizada a expressão “maxixe-choro”, mas apenas ‘’maxixe’’). Além disso, há choros de andamento rápido e choros mais lentos (apelidados "varandões").
O choro tradicional é caracterizado por três partes. É comum que cada parte esteja em uma tonalidade, geralmente com modulações para tons vizinhos como o relativo ou o quarto grau.
A partir de meados do século XX, tornou-se muito popular o choro com apenas duas partes. Grande parte dos choros de Jacob Bittencourt apresentam apenas duas partes. Um grande defensor do choro em duas partes foi o compositor K-Ximbinho.
No dia 23 de abril se comemora o Dia Nacional do Choro, trata-se de uma homenagem ao nascimento de Pixinguinha. A data foi criada oficialmente em 4 de setembro de 2000, quando foi sancionada lei originada por iniciativa do bandolinista Hamilton de Holanda e seus alunos da Escola de Choro Raphael Rabello.
No Estado de São Paulo, existe o Dia Estadual do Choro, comemorado no dia 28 de junho. Foi neste dia, no ano de 1915, que nasceu um dos principais expoentes paulistas do choro, o "Garoto", nome artístico de Aníbal Augusto Sardinha.

Referência
DINIZ, André. Almanaque do Choro: História do Chorinho, o que Ouvir, o que Ler. Rio de Janeiro: JZE, 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário