sexta-feira, 11 de março de 2016

18º Feira do Vinil no Canal da Música

No dia 05 de março, das 10 às 18h, aconteceu a 18ª Feira do Vinil no Canal da Música. Nessa edição, além dos 54 expositores, aconteceram bate-papo, feira gastronômica, de artesanato e de produtos orgânicos no estacionamento do Canal da Música, além de vários shows de bandas da capital.
Foram 54 expositores do Paraná, Santa Catarina e São Paulo que comercializam cerca de 30 mil títulos. Alguns velhos conhecidos e outros vendedores novos que trouxeram um material bem diversificado para feira.
Dessa vez consegui ir visitar a grande maioria, a grana acabou rapidinho e até passei dos limites, mas consegui adquirir um bom material.
Como todos já sabem, a Feira do Vinil surgiu em 2011 para comemorar o mês do vinil e, na sua primeira edição, foram expostos aparelhos de som antigos e reuniram apenas oito expositores em uma mini-feira do vinil. A receptividade por parte do público foi positiva o que possibilitou a continuidade da feira que passou a acontecer a cada três meses.
O De Volta Para o Vinil se orgulha de ter estado presente mais uma vez fazendo uma parceria com a Bilesky Discos de São Paulo.



Fotos: Cristiano Oliveira, Patricia Carvalho e Luma Aplevicz

Segundo os organizadores a feira recebeu de 6 mil a 7 mil pessoas, foi bacana ver famílias frequentando a feira e manipulando os discos, crianças encantadas com esse novo universo em que música não está disponível numa "micro caixa portátil".





Fotos: Cristiano Oliveira, Patricia Carvalho e Luma Aplevicz
O dia estava agradável e além da feira, no estacionamento, podíamos comer e beber nos food trucks e curtir as bandas que tocaram o dia inteiro. A banda Carne de Onça começou arrebentando e o ponto alto sem dúvida foi a participação do Kid Vinil. Depois vieram a banda de metal Mercy Killing que estava lançando o vinil Euthanasia e por fim a banda Canela Seca fechando o dia com chave de ouro.


Fotos: Cristiano Oliveira, Patricia Carvalho e Luma Aplevicz
No período da tarde, aconteceram bate-papos com temas como "Como o vinil revolucionou o caminho da música eletrônica" e "Quais são os vinis mais raros e caros na história da  música", promovidas por integrantes da Yellow DJ Academy. Infelizmente não fiquei ouvindo o bate-papo pois o som dos microfones estava muito ruim. Talvez seria melhor se o bate-papo fosse em outro espaço com menor reverberação.


Já não é nenhuma novidade que os preços praticados por alguns vendedores é abusivo, mas acredito que isso com certeza irá refletir nas vendas a médio/longo prazo. Os colecionadores mais experientes já estão pesquisando e garimpando para encontrar discos bons por preço justo. Na verdade o pessoal reclamou bastante dos preços, mas acho impossível não encontrar um disco com preço justo em pelo menos um dos 50 expositores.


Fotos: Cristiano Oliveira, Patricia Carvalho e Luma Aplevicz
Novamente o grande problema da feira foi a sonorização e discotecagem. Acredito que deva existir uma convivência harmoniosa entre as partes, pois a sonorização sempre fez parte da feira e tem o intuito de divulgar o trabalho dos DJs e dar um clima ao ambiente, mas no volume e equalização certos, de forma que não atrapalhem a conversas e negociações dos frequentadores e expositores.
Dessa vez infelizmente não posso defender o trabalho dos DJs, pois o som estava estridente, cansativo e repetitivo. Em alguns momentos, algumas músicas cansavam os ouvidos e aliados ao volume altoe, prejudicavam a audição das conversas e negociações.
O ambiente é amplo e possui muita reverberação e o som se espalha com facilidade, por isso não há necessidade de manter o volume alto. Além disso, apesar de gosto musical ser algo extremamente pessoal, os DJs deveriam diversificar os gêneros, tocando músicas melhores e mais conhecidas do grande público.
Uma solução possível seria levar a discotecagem para um ambiente separado, pois realmente estava difícil conversar e negociar em determinados momentos.
Algumas pessoas também disseram que a Feira do Vinil "perdeu o foco", para esses digo e repito: a Feira não é somente um espaço para fazer negócios, mas sim para encontrar os amigos, ter boas conversas sobre música e o mundo do vinil, além de possibilitar o contato com uma variedade de gêneros musicais, culturas e estilos.
Aproveito também para parabenizar a equipe pela organização e empenho para a realização da Feira no Canal da Música

Confira mais algumas fotos do evento:











Fotos: Cristiano Oliveira, Patricia Carvalho e Luma Aplevicz
Mais fotos na página do Canal da Música

Vamos as aquisições


  • Três compactos simples da Gretchen (1978, 1979 e 1980)
  • Rainbow Concert - Eric Clapton (Magic Bus)
  • E.C. Was Here - Eric Clapton (Magic Bus)
  • Slowhand - Eric Clapton (Baú do Pirata)
  • On the Border  - Eagles (Magic Bus)
  • Greatest Hits - Air Supply - (Adriano Discos)
  • The Best of - Chicago - (Adriano Discos)
  • Woman and Children First - Van Halen - (Adriano Discos)
  • Xscape - Michael Jackson (Bilesky Discos)
  • Bad yo the Fone - Inner Circle  (Nossoacervo)
  • Conscious Party - Ziggy Marley  (Nossoacervo)
  • Live - Gipsy Kings (Adriano Discos)
  • The best of - Tom Jones (Acervo Almon)
  • The Godfather - Trilha Sonora
  • Octopussy - James Bond - Trilha Sonora
  • O Foguete da Morte - James Bond - Trilha Sonora
  • Porkys Contra-ataca - Trilha Sonora (Nossoacervo)
  • Star Wars - Trilha Sonora 
  • The Breakfast Club - Trilha Sonora (Nossoacervo)
  • Conte Comigo- Trilha Sonora (Nossoacervo)
  • O Último Dragão- Trilha Sonora (Nossoacervo)

8 comentários:

  1. Sou UM AFICIONADO DO VINIL , TENHO UM CARINHO MTOAGRANDE POR TDS OS MEUS DISCObSS, MORO EM NANAUS, ja fui em S0. paulo e gostei mto de garimpar..eu gostaria de esta nessa fEIRA.Melo..

    ResponderExcluir
  2. Que pena ser apenas sábado , tinha que ser sab e dom

    ResponderExcluir
  3. Diego, como vai?
    Qual a periodicidade desta(s) feira(s) em Curitiba?
    Em setembro ou outubro costuma ocorrer - se sim, mais ou menos em que data do mês? Saudações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Álvaro blz
      As feiras costumavam ser trimestrais, mas acredito que devido ao grande porte do evento, a próxima será em Agosto ou Setembro.

      Excluir
    2. Valeu! Me diga...essa relação de itens abaixo da reportagem - foi o que vc adquiriu lá? Abs e dê uma passada no meu blog. Saudações.

      Excluir
    3. Isso mesmo Álvaro, eu acabei me empolgando.
      Sempre que posso acompanho suas postagens.
      Grande abraço

      Excluir
  4. Concordo com você. Um evento como esse pede um som ambiente baseado em música de qualidade e não em música de balada elevado a um nível irritante.Esses pretensos DJs agem como se estivessem em uma competição entre êles e cada um que entra, aumenta cada vez mais o volume, impedindo as negociações e as conversas sobre o mundo do vinil, que é o mote principal da Feira. Êles têm que entender que os frequentadores e expositores são profundos conhecedores de boa música e não suportam essa imposição de lixo contra-cultural ouvido abaixo. Já bastam os Juca Boys que encontramos no trânsito. Desculpe esse longo desabafo, mas êle representa o pensamento de 95% dos expositores. (conheço todos). Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Diego. Legal teu post. Obrigado por adquirir as trilhas sonoras lá na nossa banca. Gostaria só de corrigir que É NOSSOACERVO, e não ACERVO DISCOS. Aproveito para divulgar o link do meu eshop no Mercado Livre http://wwww.mercadolivre.com.br/nossoacervo . To cadastrando discos novos quase todos os dias. Abraços e até a próxima!

    ResponderExcluir