segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Toca-discos 06 | Como conectar um toca-discos a um sistema de áudio

Como recebi inúmeros emails com dúvidas as respeito de como fazer conexão de um toca-discos a um sistema de áudio, resolvi reunir alguns pontos já explanados em outros posts do blog e complementar com novas informações, focando em pré-amplificadores, amplificadores de potência dedicados, integrados e receivers.
Como eu disse anteriormente, entrar no mundo do áudio analógico não é uma tarefa muito fácil nem barata. Além disso, exige bastante conhecimento principalmente sobre os componentes do sistema, regulagem e nivelamento de toca-discos, possíveis problemas, entre outros assuntos já abordados na seção Toca-discos.


Lembro novamente que os aparelhos e a forma de ligá-los são apenas sugestões, assim a escolha por esses segue por sua responsabilidade. O blog não se responsabiliza por qualquer dano material ou físico ocasionado pela mau uso dos aparelhos e/ou aplicação incorreta das instruções.
Não vamos sugerir marcas de nenhum dos tipos de aparelho citados pois a compra vai depender do nível de qualidade que você deseja atingir e do quanto quer investir nessa tentativa. Também não vamos incluir aqui os som 3 em 1 e os aparelhos "vinyl killers", pois não fazem parte do propósito desde artigo.
É importante salientar que não sou audiófilo, nem engenheiro de som, por isso o que você vai encontrar aqui é um resumo do que eu encontrei na web e conversei com colecionadores e vendedores de vinil, além é claro, da minha própria experiência.
Esta página está em constante atualização, por isso se você tiver dúvidas ou sugestões mande um email ou deixe um comentário.

Sistema de áudio
A grande maioria dos toca-discos não pode reproduzir som sozinho, precisa ligá-lo a um sistema de som, amplificador de potência, receiver e um conjunto de caixas-acústicas. Há muitas configurações possíveis para ligar um toca-discos em um sistema de áudio, incluindo vários tipos de aparelhos que apresentam funções especificas. Vamos propor alguns layouts básicos para que você seja capaz de descobrir a configuração que atenda sua necessidade.
Primeiramente existem três tipos de saídas do toca-discos que vão determinar toda a configuração do layout do sistema de áudio, são elas: phono, line e usb (para os toca-discos novos).

1) Phono
A saída phono é o sinal usado para gravar o som de vozes e instrumentos musicais e posteriormente reproduzir no toca-discos.
O som é composto de frequências baixas, médias e altas. Se gravássemos no disco de vinil o som sem alterar as frequências baixas, seriam produzidos sulcos tão largos que ocupariam um bom espaço no disco, impossibilitando a introdução de mais faixas. Isso sem contar a dificuldade que a agulha do toca-discos teria em reproduzi-lo.
No processo de gravação do disco as frequências baixas são atenuadas e as altas são aumentadas, pois isso melhora a relação sinal ruído e os sulcos ficam mais estreitos, consequentemente mais faixas de músicas podem ser inseridas.
Na reprodução do vinil ocorre o processo inverso: as alterações de frequências feitas na gravação devem ser restauradas de forma que o ouvinte possa apreciar o som na sua forma original.
Como a cápsula do toca discos produz um sinal de baixa amplitude (na ordem de alguns milivolts), o pré-amplificador também deve amplificar este sinal para um nível compatível aos amplificadores de potência (na ordem de alguns Volts), por isso na etapa da reprodução é necessário projetar um pré-amplificador que eleve as frequências baixas e atenue altas, como veremos adiante.

2) Line 
A saída de linha é o sinal de áudio usado para transmitir som entre os componentes de áudio mais modernos como CD e DVD players, televisores, amplificadores de áudio e mesas de som.


O som de vozes e instrumentos musicais são muitas vezes gravados com transdutores (microfones e captadores) que produzem sinais elétricos fracos. Estes sinais devem ser amplificados para o nível de linha para serem manipulados de maneira mais fácil por outros dispositivos, tais como mesas de mistura e gravadores. Tal amplificação é realizada por um dispositivo conhecido como um pré-amplificador que realça o sinal de nível de linha.
Após a manipulação ao nível da linha, os sinais são normalmente enviados a um amplificador de potência, onde são amplificados para níveis que podem levar fones de ouvido ou caixas-acústicas.

3) USB
Alguns toca-discos mais modernos tem uma porta USB que você pode conectar ao computador usando o cabo USB. Esta é uma maneira conveniente de transferir a sua música para o seu computador usando qualquer software de gravação.
Mas lembre-se que a saída USB deve ser usada única e exclusivamente para conversão de vinis em formatos digitais e não para reprodução dos mesmos em caixas de computador. O conversor interno do computador vai transformar o som analógico em som digitalizado e se essa ligação for mantida para reprodução de vinis, toda a qualidade e pureza do som analógico será perdida na conversão.

Equipamentos de um sistema de áudio analógico
Já fizemos uma definição dos equipamentos que compõe um sistema de áudio analógico na primeira postagem da seção. Porém, na sequência optei por reorganizar algumas definições importantes.

1) Pré amplificador dedicado
Aparelho que faz a conversão do sinal a analógico para o sinal de linha e é usado para ligar o toca-discos com saída phono em amplificador de potência com entrada line.
O termo "dedicado" é usado para designar um aparelho que realiza um função específica e isolada bem como usa uma fonte de energia separada.

2) Amplificador de potência dedicado
O amplificador de potência ou power amplifier é o aparelho que recebe o sinal de linha e transmite para as caixas acústicas.
No caso dos toca-discos, para usar um amplificador de potência dedicado o sistema deve possuir necessariamente um pré-amplificador dedicado.
Muitos chamam de "amplificador" o aparelho que na verdade possui também a pré-amplificação, esse tipo de aparelho chamamos de integrado.

3) Integrado
Chama-se integrado o aparelho possui o pré-amplificador e o amplificador integrados no mesmo aparelho.

4) Receiver
Receiver é o aparelho que, além da pré amplificação e da amplificação, possui um tuner (rádio). Por sua vez os receivers são divididos em dois tipos: os receivers estéreo e os multicanais (home-theaters). 

Layouts de sistema de áudio análogico
Como eu disse anteriormente, existem muitas configurações possíveis para ligar um toca-discos em um sistema de áudio, incluindo vários tipos de aparelhos que apresentam funções especificas. Nesse artigo, vamos nos ater em alguns layouts básicos para que você seja capaz de descobrir qual atende melhor sua necessidade.
Lembro que não estou falando de equipamentos Hi-End, com pré-amplificadores e receivers valvulados e sim de equipamentos de nível médio.
Iremos avaliar a qualidade do som nos layouts com o critério de um a cinco "*" sendo que o de pior qualidade ter apenas "*" e o de melhor qualidade terá "*****". Esse critério é apenas para você se situe dentro das possibilidades de um sistema de áudio analógico e busque melhorar a qualidade dos equipamentos.

1) Toca-disco > Saída Line > Caixas de som
A maneira mais simples de usar o seu toca-discos é ligar um par de caixas de som com entrada line. Note-se que os caixas de som na imagem tem um cabo de alimentação, sem isso a reprodução não seira viável.
É possível conectar um toca-discos num amplificador de guitarra, porém não muito recomendado. Se for ligar apenas certifique-se que você tem os adaptadores de cabo certos.
Qualidade de som: **

2) Toca-disco > Saída Line >  Receiver estéreo ou multicanal (entrada line) > Caixas acústicas
Essa configuração pode ser usada para ligar o toca-discos a um receiver estéreo ou na auxiliar de um receiver multicanal (home-theather)
Lembrando que os toca-discos devem ser conectados preferencialmente a receivers estéreo.
Assim, nos home-theaters 5.1, 6.1, 7.1 e 8.1, não ocorrerá a separação de mais canais, afinal os vinis foram gravados apenas em dois canais, bem como os toca-discos e o pré-amplificador só foram fabricados com esse propósito.
Qualidade de som: ***

3) Toca-disco > Saída Line > Transmissor sem fio > Receiver (bluetooth) > Caixas acústicas
Você pode reproduzir seus vinis num aparelho sem fio também, conectando o toca-discos na saída em um transmissor sem fio, como mostrado no diagrama. Entretanto não recomendamos muito essa configuração pois nessa conversão de alguma forma você estará "digitalizando o som" e perdendo qualidade.
Qualidade de som: *

4) Toca-discos > Saída phono > Pré-amplificador dedicado > Saída line > Amplificador de potência dedicado (entrada line) > Caixas acústicas
Nesse sistema temos dois aparelhos dedicados para fazer a equalização e amplificação do sinal analógico.
Normalmente, um sistema com elementos dedicados tende a ser superior a outro com elementos integrados, dentro das devidas proporções.
Qualidade de som: *****


5) Toca-discos > Saída phono > Pré-amplificador dedicado > Saída line > Receiver Estéreo ou Multicanal > Caixas acústicas
Muitos equipamentos de som mais modernos não possuem a conexão específica para toca-discos de vinil com cápsula magnética (entrada phono). Se você quer ligar um toca-discos ao seu aparelho mais moderno notará que este não possui a entrada phono.
Dessa forma, você terá que conectar o toca-discos a um "pré-amplificador de phono" antes de ligá-lo à entrada auxiliar do seu receiver estéreo ou multicanal.
Alguns toca-discos mais modernos vem com pré-amplificador embutido, mas ele serve apenas para a saída de linha (line) como vimos no Layout 2. A pré-amplificação não se aplica a saída phono.
Assim, se você quiser ligar o seu toca-discos na saída phono em um entrada line de um receiver, você vai precisar de um pré-amplificador externo.
Qualidade de som: ****

6) Toca-discos > Saída phono > Integrado (entrada phono) > Caixas acústicas
Os toca-discos também podem ser ligados em um integrado que já possui a entrada de phono.
Na verdade, a pré-amplificação ocorre dentro do próprio aparelho.
Qualidade de som: ****



7) Toca-discos > Saída line > RCA com adaptador feminino > Fone-ouvido
É possível conectar fones de ouvido no toca-discos usando o cabo RCA com adaptador feminino. No entanto, não é uma solução muito usual, a menos que os fones de ouvido tem um controle de volume. Se você quer ouvir os vinis com fone recomendamos a utilização no Layout 2 só que em vez das caixas você vai usar um fone de ouvido. Alguns aparelhos já possuem a saída de fone, não havendo necessidade dessa adaptação.
Qualidade de som: *



Toca-disco > Saída Line > Amplificador de potência, Integrado ou Receiver (entrada line) > Fones de ouvido de qualidade
Qualidade de som: ***

8) Toca-discos > Saída USB> Computador
Como disse anteriormente esse Layout serve para transformar seus álbuns em formato digital com a ajuda de qualquer software de gravação. Para monitorar a saída USB durante a gravação você pode usar as caixas de som do computador, fones de ouvido ou você pode conectar um conjunto de caixas de som diretamente ao seu toca-discos.
Mas como dissemos anteriormente, a saída USB deve ser usada única e exclusivamente para esse fim e não para ouvir os vinis em caixas de computador.
Qualidade de som: *



9) Receptor com entrada USB
Em muitos receptores há uma porta USB que é geralmente destinada para dispositivos de armazenamento. Os toca-discos, mesmo os mais modernos, não são um dispositivo de armazenamento. Esta configuração não funcionará a menos que seu receptor suporta streaming de áudio USB. Dessa forma, o toca-discos conectado a um receptor não vai funcionar

Ilustrações: musehelix.com

Conclusão
Embora esses layouts não tenham a qualidade de som dos sistemas de áudio de alta fidelidade, você consegue sim ter uma qualidade de som muito boa para o ouvinte médio, principalmente os Layouts 4, 5 e 6  que são os mais usados.
É importante ter em mente que a qualidade do som que sai das caixas-acústicas é o resultado de um processo muito complicado que envolve todos os componentes de áudio que chamamos de "Cadeia de Qualidade de Som". Se você emparelhar o seu toca-discos com um bom pré-amplificador, receiver ou integrado e na sequência com um conjunto de caixas-acústicas de qualidade, você irá com certeza obter um excelente e satisfatório resultado. No entanto, se você conectar o toca-discos a caixas de som portáteis não espere ter uma experiência de audição incrível.
Se você estiver usando um cartucho magnético vai descobrir que o som é muito melhor do que o produzido por toca-discos baratos com cartuchos de cerâmica, como nos "vinyl killers". Claro que isso também depende da qualidade do resto do seu equipamento de áudio.
Além disso, é importante sempre manter os vinis limpos e em boas condições, pois isso afeta e muito na qualidade do som. (Veja como limpar corretamente um vinil)

Referências
www.musehelix.com
www.erpires.com.br
www.audiorama.com.br
www.newtoncbraga.com.br

Aproveito para agradecer a colaboração do meu amigo Rafael Bardal para a elaboração desse post.

18 comentários:

  1. Possuo um toca disco de maleta da Imaginarium e o conectei à caixa de som bluetooth Bose Soundlink Speaker Mini 2 através do cabo rca (toca disco) e p2 (caixa de som). Estou muito satisfeito com a qualidade de audição e gostaria de comentários de especialistas como vocês. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jorge
      A questão de qualidade do som é bem relativa.
      Porém é importante salientar que essa configuração está longe de ser ideal para ouvir vinis com qualidade.
      Uma porque você está usando uma maleta "vinyl killer" e depois está conectando a um caixa via bluetooth.
      Nesse layout voce está perdendo toda a qualidade que o som analógico pode proporcionar ao ouvinte.
      Se você realmente gosta de ouvir vinis aconselhos ir trocando seu equipamento aos poucos por algo de melhor qualidade.
      Espero ter ajudado.

      Excluir
  2. Diego, muito esclarecedor o seu artigo. Obrigado por compartilhar sua experiência. Então, possuo o toca discos audio technica e pretendo utilizá-lo em phono. Para isso, pretendo adquirir o pré amp Riaa elc104 e.r.pires. Gostaria de uma sugestão de modelo/marca para o amplificador de potência e paracas caixas, você pode me ajudar?
    Desde já agradeço a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Obrigado por ler o blog.
      Não sugerimos marcas de nenhum dos tipos de aparelho citados pois a compra vai depender do nível de qualidade que você deseja atingir e do quanto quer investir nessa tentativa.
      Recomendo que você procure os modelos em fóruns ou em grupos de áudio analógico no face para buscar algumas orientações de modelo.
      Espero ter ajudado.

      Excluir
  3. no caso do 2.2 sendo um receiver (seguindo sua definição), ou seja já possui um pré amp, não poderia ter saida phono no TD assim como o esquema 2.6?

    ResponderExcluir
  4. Tem bastante dúvidas.
    1º Se o TD tem a opção phono/line ele tem necessariamente um pre amp embutido?
    2º o pre amp é obrigatorio?
    3º esquema 2.2 poderia ter sido utilizado apenas um amplificador já que a saida do TD é line?

    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Julio
      Me mande essas dúvidas pelo email devoltaparaovinil@gmail.com
      É mais fácil responder por lá.

      Excluir
  5. Tenho um toca discos simples, um SONY LX 45 BR e pretendo liga-lo no meu home theater Sony BDVE2100. A entrada do aparelho é LINE, e não PHONO. Essa configuração dará alguma diferença no resultado final? Terei que comprar um mixer, um receiver e ligar em PHONO para aí então conectá-lo em LINE no meu home theater?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A saída de origem dos toca-discos é phono.
      A saída line é uma opção que alguns toca-discos possuem para ligar diretamente num aparelho mais moderno como home theather. Não é configuração mais indicada para quem quer apreciar o som do vinil. Tudo vai da qualidade que você quer atingir e do investimento que você possui.

      Excluir
  6. Olá, recentemente adquiri um toca discos aiwa px e850, com o intuito de sair das maletas killers, queria saber o que seria melhor combinar com ele para obter um som legal, poderia me ajudar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá LUV
      Como eu disse no início do post "Não vamos sugerir marcas de nenhum dos tipos de aparelho citados pois a compra vai depender do nível de qualidade que você deseja atingir e do quanto quer investir nessa tentativa".
      Existe uma infinidade de modelos e marcas, o que eu indico é montar uma sistema de áudio com equipamentos simples mas de boa qualidade e ir trocando depois por melhores, seguindo os layouts 4,5 e 6.
      Espero ter ajudado

      Excluir
  7. Olá amigo boa tarde
    tenho tocadisco com saida USB mas não é reconhecida no pc
    será que precisa de um driver pra funcionar?
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Para conectar um TD vai usb em um Pc você vai precisar de software específico. Tanto para fazer conversão de Lp em mp3 quanto para reprodução. Mas sinceramente não recomendo reprodução de vinil via PC, use apenas para fazer converter. Eu uso o audacity para esse fim.
      Espero ter ajudado

      Excluir
  8. Olá, Diego! Parabéns pelo blog. Repleto de informações interessantes. Gostaria de saber: Qual marca de amplificador dedicado você recomendaria? E, no caso da configuração 4, não seria necessário um equalizador para um "ajuste fino"?

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marlon
      Existe uma infinidade de marcas e modelos de mais variados preços, realmente fica difícil indicar, pois tudo depende do seu gosto e investimento disponível.
      Recomendo que você procure modelos em fóruns e pergunte diretamente a um usuário sobre o modelo que vc te em vista.
      Um equalizador dedicado é bem interessante para fazer um ajuste preciso, mas tudo depende do seu investimento. Lembrando que o equalizador não é fundamental para o funcionamento do sistema, mas sim um complemento.
      Espero ter ajudado

      Excluir
    2. Salve! Ajudou sim. Já andei dando uma pesquisada. Valeu

      Excluir
  9. Boa tarde,

    Estou em dúvida entre a escolha de melhor custo benefício para um futuro sistema de som que pretendo montar:

    Um sistema que pensei é composto por um TD (com pré-amp embutido), conectado diretamente a uma caixa ativa, com potência de saída de 90W RMS e conexão bluetooth para que eu possa conectar ao celular. Essa composição visa a funcionalidade e otimização do espaço da minha sala mesmo, além da possível eficiência do som que essa composição pode gerar.

    A outra é a analógica mesmo: Um toca discos antigo, mais um bom receiver, com potência média de saída de 50W RMS por canal e uma caixa acústica, de preferência da década de 70 mesmo.

    As minhas dúvidas: Qual das duas composições tem melhor custo benefício? Qual o melhor sistema para um som mais limpo saído dos discos e vinil? Sobre a segunda composição de toca discos, se eu tenho um receiver com uma potência de saída de mais de 100W RMS por canal (vamos supor um kenwood kr 9400, que tem 120W) e uma caixa acústica com 80W, eu corro riscos de perder em qualidade de som ou mesmo queimar minha caixa?

    Desde já, agradeço a ajuda e os esclarecimentos! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guilherme
      Tem uma série de questionamentos, mas vou tentar ajudá-lo.
      O ideal para um sistema analógico é ter todos os aparelhos independentes como no layout 4 e 5.
      Mas nada inpede de você comprar um receiver que tenha entrada bluetooh para conectar o celular.
      Agora comprar aparelhos antigos vai de sua preferência e investimento disponível.
      Qual dos dos tem melhor custo benefício é algo bem difícil de dizer, pois denpende de muitos fatores.
      Sobre potência, procure ter caixas que suportem um pouco mais da potência máxima do teu amplificador de potência.
      Assim você não corre o risco de queimá-las ou estourá-las.
      Espero ter ajudado

      Excluir