sábado, 15 de abril de 2017

Tutorial 02 | Como desempenar discos de vinil

Para a segunda matéria da seção de Tutoriais, escolhi um tema muito recorrente nos fóruns, grupos e também nas dúvidas recebidas na nossa fanpage e email: como desempenar um disco de vinil?
Esse assunto já foi tema em nossa páginas de dicas, mas resolvi acrescentar mais algumas informações,
Mas antes de explanar acerca do assunto, é importante fazer algumas considerações:
  • Lembro que os métodos são apenas sugestões, assim a escolha por esses segue por sua responsabilidade. O blog não se responsabiliza por qualquer dano material ocasionado pela aplicação incorreta das instruções e procedimentos.
  • É importante lembrar que o método descrito serve apenas para amenizar empenos leves.
  • O método só serve para desempenar apenas um vinil. Se você tiver mais vinis empenados vai precisar de tempo e paciência. Por isso é sempre importante saber como manter sua coleção de vinis.
  • É importante salientar que não sou audiófilo, nem engenheiro de som, por isso o que você vai encontrar aqui é um resumo do que eu encontrei na web e conversei com colecionadores e vendedores de vinil, além é claro, da minha própria experiência.
  • Esta página está em constante atualização, por isso se você tiver dúvidas ou sugestões, mande um email ou deixe um comentário.

1) Porque os vinis empenam?
Os vinis empenam sobretudo por três motivos: armazenamento inadequado, processo de prensagem e temperatura elevadas.

Armazenamento inadequado - Empeno leve

O primeiro grande erro cometido por alguns colecionadores é empilhar os vinis na horizontal. Com o tempo, essa acomodação faz com o que os vinis que estão na parte de baixo sofram pressão do peso dos vinis que estão em cima e fiquem com uma leve curvatura (empeno leve).
Outros colecionadores até armazenam os vinis na vertical, mas não escolhem a caixa adequada. Algumas caixas possuem os cantos internos arredondados, de forma que o vinil que fica encostado nesse canto irá sofrer um empeno progressivo com o peso dos demais. Por isso, se você for armazenar vinis em caixas, procure aquelas com os cantos internos retos e com capacidade de no máximo uns 40 vinis.
Na maioria da vezes, o empeno leve é possível de reverter com tempo e muita paciência como veremos a seguir.


Quando preciono o centro do vinil é possível ver uma leve curvatura.
Processo de prensagem - Empeno leve
Como o vinil fica suscetível a altas temperaturas no momento em que é prensado, pode ocorrer um leve empenamento nesse processo. Nesse caso, por erro de controle de qualidade do próprio fabricante, o vinil lacrado já vem empenado. É possível desempená-lo da mesma forma que o caso anterior.

Temperaturas elevadas - Empeno irregular
Quando o vinil fica sujeito a temperaturas muitos elevadas, ele pode sofre um empeno irregular em regiões ou em toda sua superfície. Um grave erro é armazenar vinis em lugares que bate o sol e também ao lado de churrasqueiras e fornos. 
Esse tipo de empeno é irreversível e o vinil deve ser descartado. Qualquer tentativa de reverter, seja natural, com prensa e/ou calor, não vai reorganizar o vinil da forma correta e o sulcos vão ficar deformados, prejudicando posteriormente a audição do vinil.

2) Método das placas de granito

Materiais
  • Duas placas de granito polidas, no tamanho de 40 cm x 40 cm, com 2 cm a 4cm de espessura, ou medida aproximada que houver na marmoraria
  • Um plástico interno de vinil
Método
1) Limpe muito bem as superfícies do granito, deixando-as absolutamente secas. Pode usar água ou álcool, mas ela tem que estar absolutamente seca, afinal vai conviver com a superfície do vinil por longo tempo.


2) Primeiro coloque o vinil dentro do saco plástico interno para ele não pegar tanta poeira, afinal ele vai ficar bastante tempo parado.


3) Coloque o vinil já embrulhado entre as duas placas de granito com as partes polidas na direção do vinil.
Fotos: Diego Kloss
5) Deixe as placas e o vinil em uma superfície plana longe da movimentação (que ninguém vá mexer) e de incidência solar (o vinil não irá desempenar e poderá deformar com o calor).
6) Agora esqueça que esse vinil existe, deixe-o em repouso por 2 a 3 meses. Dependendo do resultado você pode aumentar o tempo para 4 meses ou mais, isso vai depender do estado do vinil. Certamente depois dessa "internação" do seu precioso vinil nas placa de granito, o mesmo voltará ficar plano. Depois disso, lave-o pois micro-organismos certamente visitarão os sulcos. Veja as dicas em limpeza de vinis

3) Método das placas de vidro - Pressão moderada
Também é possível desempenar vinis com duas placas de vidro como veremos a seguir.

Materiais
  • Duas placas de vidro, no tamanho de 40 cm x 40 cm, com 0,5 de espessura, ou medida aproximada que houver na vidraçaria.
  • Um plástico interno de vinil.
  • De dois a quatro sargentos pequenos.
Método
Foto: David de Andrade Neto
  1. Limpe muito bem as superfícies dos vidros, deixando-as absolutamente secas. Pode usar água ou álcool, mas ela tem que estar absolutamente seca, afinal vai conviver com a superfície do vinil por longo tempo. 
  2. Primeiro coloque o vinil dentro do saco plástico interno para ele não pegar tanta poeira, afinal ele vai ficar bastante tempo parado.
  3. Coloque o vinil já embrulhado no plástico entre as duas placas de vidro.
  4. Prenda com os sargentos nas quatro pontas aplicando uma pressão moderada. Não há necessidade de apertar muito, inclusive é possível usar apenas dois sargentos, já que eles servem apenas para fixar e fazer uma leve pressão. 
  5. Deixe as placas e o vinil em uma superfície plana longe da movimentação (que ninguém vá mexer) e de incidência solar (o vinil não irá desempenar e poderá deformar com o calor).
  6. Agora esqueça que esse vinil existe, deixe-o em repouso por 2 a 3 meses. Dependendo do resultado você pode aumentar o tempo para 4 meses ou mais, isso vai depender do estado do vinil. Certamente depois dessa "internação" do seu precioso vinil nas placa de vidro, o mesmo voltará ficar plano. Depois disso, lave-o pois micro-organismos certamente visitarão os sulcos.

4) Métodos NÃO recomendados
Jamais coloque o vinil entre dois vidros e coloque 15 minutos de sol como já vi preconizado. Com a técnica da placa de granito ou do vidro à sombra, o desempeno se dá pela "força de coesão molecular", ou seja, pela ação do peso do granito ou da pressão das placas de vidro e também da própria gravidade que "forçam" as moléculas do vinil a se arrumarem homogeneamente com tempo, de uma forma lenta, gradual e segura.
No caso da imprópria técnica do vidro ao sol ou forno, o que você terá será rearrumação molecular por força de coesão precipitada pelo calor, o que é perigoso, já que o calor um péssimo arrumador igualitário.
O calor é mais um desorganizador molecular visto que não incide por igual em toda a substância a sofrer o desempeno. Além disso, o vidro não irá tocar microscopicamente a extensão do vinil por igual e nas partes onde o toque for efetivo haverá maior aplicação de calor e dilatação. O mesmo acontece com o método de água morna com placas de granito. Nesse método o vinil é colocado entre duas placas de granito e lavado com água morna.
Das três formas o processo de desempenar o vinil pode inclusive alterar a forma das cristas dos sulcos do vinil, pois o brusco calor gerará uma dilatação aleatória. 

5) Conclusão
Antes de mais nada, é importante manter os vinis devem ficar sempre na vertical em lotes de 10 a 20, na sombra e em local arejado, protegido do calor e da umidade excessiva (Acima de 60% de umidade relativa do ar). Ambientes muito úmidos, com umidade em torno de 80 a 90% ou mesmo a partir de 50% , guardados em armários velhos ou baús por exemplo, podem receber leve infestação de fungos. Além de manter os discos limpos, é bom sempre limpar o local onde vão ser armazenados.
Se você não possui uma estante com muitas divisórias, compre suporte de livros para dividir os vinis em lotes de 10 a 20 e distribuir o peso, evitando assim o empenamento. Também é importante ter uma estante forte pois um vinil pode não pesar muito, mas juntar 20, 40, 80 e 100 vinis, vão danificar uma estante fraca.
Vinis separados por suportes em lotes de 20. Foto: Diego Kloss
Não esqueça de conferir os métodos de regulagem e manutenção da seção Toca-discos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário