segunda-feira, 31 de julho de 2017

Conexões 27 | Lúcia Porto entrevista PisCes

Para a vigésima segunda entrevista na seção Conexões, nossa parceira Lúcia Porto conversou com a cantora e compositora PisCes.
PisCes é uma artista brasileira dos estilos Indie e Rock Alternativo, vive na cidade de Curitiba, Sul do Brasil.


Lúcia: 1 - Quando você começou na música o que te interessou primeiro, tocar guitarra, compor ou cantar?
PisCes: Cantar. Aos dez anos, percebi que eu cantava bem, e gostava muito de disso. Não demorou muito e eu já coloquei na cabeça que eu precisava aprender a tocar violão e guitarra! Não pensei que seria tão rápido como foi. Aprendi sozinha, nunca tive aulas, e aí já comecei a compor.

Lúcia: 2 - E as suas influências quais são?
PisCes: Como eu disse, aos dez anos percebi que eu gostava de cantar, a primeira influência (e principal) foi a banda Jonas Brothers. As primeiras músicas que eu cantei pra valer, foram as deles. E no mesmo período, teve Pitty que foi uma influência gigante também. Logo depois veio Tokio Hotel que foi uma grande inspiração principalmente no aprendizado da guitarra. Eu ficava assistindo os shows deles e tocando junto, fingindo que eu tava lá. E hoje em dia, com o amadurecimento das composições e meu próprio, eu percebi que tenho um estilo único, então minhas atuais influências são bandas que também são únicas, como Twenty One Pilots, The Neighbourhood, que fazem um som que só eles fazem. Ninguém pode imitar. E eu me inspiro dessa forma… Quero fazer um som que seja inspirador, mas único. Além disso, meus fãs sempre me comparam com bandas e artistas dos anos 80, e por causo disso, comecei a me inspirar nas músicas dessa época também.

Lúcia: 3 - Por que a opção pelo inglês no primeiro single de estúdio?
PisCes: Cold Rain foi uma das minhas primeiras composições, e de início eu compunha apenas em inglês (provavelmente porque eu me influenciava muito por bandas e artistas estrangeiros), então não foi exatamente uma escolha. Não foi algo que eu disse “Pô, o lançamento tem que ser em inglês”. Quando Cold Rain começou a ser produzida, eu ainda não tinha uma quantidade tão grande de músicas em português como tenho hoje. As composições em português deslancharam no final de 2016, e não pararam mais. Agora há um equilíbrio na quantidade de músicas em inglês e português, então o meu primeiro CD, que terá 14 faixas, será bem variado. Mas há uma vantagem pelo primeiro single ser em inglês: vai atingir o pessoal lá de fora também.



Lúcia: 4 - E o seu show acústico, comente um pouco sobre ele.
PisCes: Não foi minha primeira apresentação, mas eu fiquei nervosa como se fosse. Eu já tinha me apresentado muitas vezes antes, mas eu cheguei a passar mal de tanto nervosismo, porque eu sentia uma responsabilidade enorme. O intuito do show era que fosse um lançamento da PisCes, então todo o material (vídeos, fotos) seriam divulgados como o primeiro show da PisCes! Então tinha que ser bem feito, tinha que ser ótimo! E foi. Eu atingi todas as minhas expectativas e eu senti o quanto o público gostou. Sem falar na participação mais do que especial do meu padrinho Murillo da Rós, que inclusive foi o produtor do single e está sendo do CD. Ele tocou brilhantemente, e o show não teria sido tão incrível se não fosse pela presença dele.

Lúcia: 5 - Por que PisCes, tem algum significado?
PisCes: Sim, tem. Pisces é “Peixes” em inglês, do signo de Peixes, que é o meu signo e eu sou apaixonada por isso. Faço leitura de mapa astral, estudei astrologia muito profundamente, e cheguei a pensar em fazer faculdade de Astrologia, mas o curso foi fechado por falta de procura. Mas ainda assim, sou uma maníaca dos signos, e nunca vou deixar de estudar e me aprimorar no assunto.


Lúcia: 6 -  PisCes fique a vontade para suas últimas considerações, redes sociais, agenda de shows e o que mais achar necessário.
PisCes: No momento do nascimento da PisCes, eu tive algumas epifanias de que, eu tenho um estilo mais internacional de compor, mas eu sou brasileira, e é por isso que meu foco principal é o exterior, porque eu sei que os estrangeiros serão muito atingidos e eu quero que as pessoas conheçam a brasileira PisCes, e vejam um outro lado do Brasil. Quero quebrar tabus, preconceitos, e o senso comum de que o Brasil é apenas samba, funk e carnaval. Quero que o exterior se desdobre pra vir num show da PisCes no Brasil, e não que o brasileiro vá ver um show da PisCes no exterior. Quero que aquele meu fã estrangeiro fique com vontade de conhecer a minha terra. E eu sei que eles verão o Brasil com outros olhos. Eu não sou a única a dar início a essa mudança da visão cultural que o exterior tem pelo Brasil, mas ainda são poucos (o DJ Bruno Martini, por exemplo). Pode parecer uma ambição, mas é uma meta (ambiciosa, talvez, mas é).
Acompanhando minhas redes sociais, o pessoal fica ligado em TUDO que rola. Eu tô nelas 24h por dia.

Instagram: @oficialpisces
Twitter: @piscesoficial
Snapchat: @cicyteixeira
Facebook: www.facebook.com/pisCesoficialpage/

Minha agenda de shows por enquanto:
19/08 – CURITIBA/ PR
14/10 – LAPA/ PR
09/11 – PARANAGUÁ/ PR

Você pode ouvir a PisCes na Rádio Blá FM 88.1 (A terceira maior difusora de rádio web da América Latina) e na rádio CWB Rock (web).

Extraído do blog Lado A Discos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário