sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A maior coleção de vinis do mundo


Paul Mawhinney e sua imensa coleção de vinis.
Depois de ler essa matéria vi que sou apenas um mero colecionador com meus 140 vinis.
Só para vocês entenderem do que estou falando, Paul Mawhinney possui nada mais nada menos que 3 milhões de discos e mais de 300.000 compactos. Tudo armazenado ao longo de 50 anos na cidade norte-americana de Pittsburgh. 

A história toda está contada no documentário em curta-metragem The Archive do diretor Sean Dunne, que esteve dentro da selecão oficial do Sundance Film Festival em 2009. O tom emocional fica pesado no final, com direito à cenas de Mawhinney chorando por trás dos óculos escuros e tocando sua "última música". Mesmo assim, é o maníaco musicólatra que dá os melhores momentos, como quando afirma, categórico, que "a música é mil vezes melhor em vinil" e isso eu concordo em gênero número e grau.
A colecão de discos ocupa um imenso galpão com temperatura controlada que Mawhinney alugou quando sua esposa deu o esperado ultimato "os discos ou eu". Junte aí isso a grandiosidade da coleção, com absolutamente tudo que e o meio século dedicação do colecionador e de repente é espantoso o fato de que uma negociação ainda não tenha rolado, pelo menos até o documentário.


No documentário, Paul fala sobre sua ligação com a música, sobre a história da sua coleção que vai desde o primeiro disco de vinil já produzido, em 1881, até itens curiosos e raros do seu acervo, como um disco dos Rolling Stones nunca lançado comercialmente.


Em um dos momentos mais emocionantes do documentário, o colecionador, que é praticamente cego devido a complicações da diabetes, tenta expressar a importância e a riqueza do seu acervo. A coleção de discos de Paul Mawhinney está avaliada em 50 milhões de dólares, no entanto ele está pedindo apenas 3 milhões.

Em tempos de milionários excêntricos desperdiçando milhões com quinquilharias de famosos, ninguém ainda parou para analisar - pelo menos não o suficiente para fazer uma oferta séria - o quanto a coleção de Mawhinney é significativa, bem cuidada e importante. Não adianta argumentar que deve ter um monte de lixo no meio, isso eu também tenho (Village People, Raça Negra, etc) não é isso que importa, mas sim a memória musical física coletada nesse tempo. Decepcionado com a falta de sucesso, o colecionador anunciou que pode vender discos específicos em separado, ou em lotes. O valor, 3 milhões de dólares, não é nenhum absurdo considerado o imenso valor cultural do acervo.

Fotos do Acervo

Coleção de vinis.
Coleção de compactos.

Coleção de CDs.

Um comentário: