terça-feira, 26 de maio de 2015

Conexões 18 | Pitty apresenta show em Curitiba, com direito a luzes, telão, novos integrantes e interações memoráveis com o público

Para a décima oitava matéria da seção Conexões, trouxe uma resenha escrita pela minha amiga Carol Oliveira acerca do Show da cantora, compositora e instrumentista Pitty. O show foi realizado no dia 16 de maio, no Curitiba Master Hall, marcando o lançamento do novo álbum “SeteVidas”.

Em abril de dois mil e quinze, fui informada pela fã page Pitty Curitiba que a banda iria fazer um show em Curitiba, no dia 16 de maio, no Curitiba Master Hall. Fui da euforia a ansiedade em poucos minutos... Após comprar o ingresso no mesmo dia que soube da notícia, comecei a fazer uma contagem regressiva para o show.

Foto: Carol Oliveira
Dia 16 de maio, às 19h 45, saí de casa para ir ao local do show e, ao chegar, me deparo com uma grande fila que ia até o final da quadra, na duas direções. A casa de shows iria abrir somente às 21h. Enquanto aguardava na fila, notei a venda de artigos como camisetas, bottons e até ingressos. Porém, o que fica marcado, são os amigos que fazemos durante a fila... conversei com algumas pessoas a respeito das músicas e novidades sobre a vida da cantora e a banda. Às 21h, os portões foram abertos, notei isso porque ouvi uma série de gritos e vi meninas correndo para ficar bem à frente do palco. Eu segui calmamente até achar um lugar bacana para ver a banda tocar.



O show se iniciou exatamente à meia noite, com a projeção do rosto da cantora Pitty em um telão gigantesco, falando frases que inspiraram a criação deste último álbum intitulado "Sete Vidas". Com a entrada dos integrantes e posteriormente da cantora, a empolgação dos fãs foi evidente, culpa maior dos gritos que ecoavam na casa de show. Ao entrar a Pitty, já inicia a música que dá título ao último álbum chamada "Sete Vidas".




Após o termino da música "Sete Vidas", escutamos a guitarra ao fundo ecoando forte e anunciando "Anacrônico", música de seu segundo álbum. A plateia foi ao delírio e cantou junto, muitas vezes, escutava-se mais o coro do que a Pitty cantando, a acústica da casa não estava boa, mas isso não comprometia o show.
Em alguns momentos, ela conversou com o público e até desejou parabéns à uma fã após esta ouvir o coro de alguns fãs cantando parabéns. A plateia também fez um show à parte, em músicas como "Serpente", ergueram papeis escrito "OH!" para servir de coro. Além de jogarem confetes, na música "Me Adora", a cantora parou diversas vezes de cantar só para escutar o coro da plateia, algo lindo de ouvir, na minha opinião.




Passando do primeiro álbum "Admirável chip novo", até o ultimo intitulado "Sete Vidas", Pitty conseguiu unir o som pesado, com fortes influências do Hardcore, para o som mais leve e alternativo (com auxílio de diversos instrumentos musicais como o pandeiro e sinos), com influências do Indie, agradando e empolgando os novos e velhos fãs ali presentes.



Foto: Carol Oliveira
Resenha de Carol Oliveira

Integrantes
Pitty - vocal e guitarra rítmica
Martin Mendonça - guitarra e vocal de apoio
Duda Machado - bateria
Guilherme Almeida - baixo
Paulo Kishimoto - teclados

Setlist
1-Sete Vidas
2-Anacrônico
3-Admiravel Chip Novo
4- Semana que vem
5- Deixa ela entrar
6-Teto de vidro
7-Memórias
8- Um Leão
9- Olho Calmo
10-Pulsos
11-Boca aberta
12-Pequena morte
13- Me adora
14-Equalize
15-Na sua estante
16-Máscara
17-Serpente

2 comentários:

  1. Há informação errada na resenha, Anacrônico não faz parte do primeiro álbum e sim do segundo, onde inclusive Anacrônico é a faixa-titulo do segundo álbum..

    ResponderExcluir