Limpeza de Vinis

Introdução
Nesta parte do site, irei dar algumas dicas para limpeza, lavagem e manutenção de vinis. Também mostrarei uma lista de produtos para ser usados nessa limpeza, para que você não precise comprar produtos caros ou uma máquina de lavar vinil.
Essas dicas não são a melhor forma de limpar vinis, os audiófilos tem métodos melhores, mas essa pequena apostila é um resumo do que eu encontrei na web e conversei com colecionadores e vendedores de vinil, além é claro, da minha própria experiência.
Lembro que esses métodos são apenas sugestões, você pode conferir métodos diferentes em outros sites. Assim, a escolha por esses métodos segue por sua responsabilidade. O blog não se responsabiliza por qualquer dano material ou físico ocasionado pela aplicação incorreta dos materiais, instruções e procedimentos.
Está página está em constante atualização, por isso se você tiver dúvidas ou sugestões, mande um email ou deixe um comentário.

Parte 1 - Conservação e local de armazenamento
O vinil deve ficar sempre na vertical em lotes de 10 a 20, na sombra e em local arejado, protegido do calor e da umidade excessiva (Acima de 60% de umidade relativa do ar). Ambientes muito úmidos, com umidade em torno de 80 a 90% ou mesmo a partir de 50% , guardados em armários velhos ou baús por exemplo, podem receber leve infestação de fungos. Além de manter os discos limpos, é bom sempre limpar o local onde vão ser armazenados.
Se você não possui uma estante com muitas divisórias, compre suporte de livros para dividir os vinis em lotes de 10 a 20 e distribuir o peso, evitando assim o empenamento. Também é importante ter uma estante forte pois um vinil pode não pesar muito, mas juntar 20, 40, 80 e 100 vinis, vão danificar uma estante fraca.

Vinis separados por suportes em lotes de 20, em ordem alfabética e
categorizados por gênero. Foto: Diego Kloss
Outro ponto muito importante é o manuseio dos vinis. Mexer com mãos sujas, a própria saliva num ambiente de muita conversa (jamais assopre o vinil) e mesmo ambiente com muita poeira suspensa ou gordura de cozinha, colaboram para o acúmulo de fungos e sujeira. Dessa forma, recomenda-se o uso de uma luva de algodão para o manuseio dos vinis, além do cuidado para colocar e retirar do seu toca-discos. Também é sempre importante ter em mãos uma flanela macia ou uma escova anti-estática para passar no vinil antes e depois de colocar no toca-discos.
Cada um tem uma forma de organizar sua coleção, a mais indicada e utilizada é por ordem alfabética. Porém, dependendo do tamanho da sua coleção, recomenda-se categorizar também por gênero musical ou ainda por selo, vinis importados e nacionais, entre outros. Para separar você pode utilizar um papelão, placa de metal ou ainda usar um post-it com a letra e/ou gênero correspondente.

Parte 2 - Protetor Externo e Interno
Todos os vinis devem ter o Protetor Externo e Interno a fim de prolongar a durabilidade da capa e do vinil. Para isso, existem muitos modelos de protetores de capa e do vinil: de plástico, papel ou ambos. Vou citar alguns existentes no mercado.

Protetor Externo
1) Plástico Externo: serve para proteger a capa. Possui várias gramaturas e dimensões para comportar diversos tipos de capa. Recomenda-se usar a gramatura do plástico de acordo com a gramatura do vinil: vinis mais pesados, de 120g para cima ou álbuns com capas duplas, usar plástico externo mais grosso (20 micra e 30 micra); discos mais finos, de 120g para baixo ou capas simples, usar plástico externo simples (10 micra a 15 micra). Vinis importados tem dimensão maior que os nacionais por isso o plástico externo deve também ser maior. É bom lembrar que a capa não deve ficar apertada ou dobrada dentro do protetor, isso pode empenar o vinil a longo prazo.
2) Plástico Externo com adesivo: é o mais usado pelos audiófilos para proteger a capa e o vinil, pois além do revestimento possui uma aba com adesivo para fechar o vinil. Mas lembre-se que os fungos sobrevivem a base de umidade. Dependendo da cidade onde você mora é melhor usar o plástico aberto.
Avantasia - Plástico Externo de 25 micra para vinil duplo; Scorpions - Plástico Externo de 30 micra para vinil triplo;
Super Heavy - Plástico Externo com adesivo de 12 micra; Udo - Plástico Externo de 12 micra. Foto: Diego Kloss
Protetor Interno
1) Record Sleeve ou Protetores de papel: serve para proteger o vinil. O problema dos protetores de papel é que eles amarelam e estragam com mais rapidez, além disso, soltam fiapos de papel, são ásperos (podem riscar o vinil) e ainda tem acidez (podem criar manchas quando em contato com o vinil por tempo muito prolongado).
2) Plástico Interno de Papel e Plástico: existem protetores que são de papel e na parte interna são revestidos de um plástico ou papel vegetal. Esses são os melhores, mas são difíceis de encontrar.
Também existem os protetores de vinil importados anti-estáticos para os colecionadores mais exigentes, mas além de difíceis de encontrar, são caros.
3) Plástico Interno Comum: é o mais usado para proteger o vinil, bem mais fácil de ser encontrado.
Record Sleeve de papel; Record Sleeve de papel e plástico; Plástico comum.
Foto: Diego Kloss 
O recomendado é você lavar o vinil e trocar o plástico interno quando achar necessário, mas como a coleção de vinis é grande, não temos tempo de lavar o vinil toda vez ou ainda comprar vários plásticos e ficar trocando. Só indico a troca do plástico quando está empoeirado, se decompondo, sujo, mofado, senão não há necessidade de trocar sempre.

Parte 3 - Lavagem de Vinis - Introdução
O prazo de um ano ou menos é suficiente para que um vinil lavado readquira novamente sujeiras causadas pela presença de microrganismos. Isso pode acontecer muito antes ou não, dependendo do uso do vinil. É importante lembrar que o vinil só deve ser lavado em casos de extrema necessidade, quando apresenta sinais visíveis de poeira e fungos que realmente podem prejudicar o som e a agulha durante a audição. Quando o vinil apresenta apenas uma camada leve de poeira, é aconselhável passar apenas um pano macio (de preferencia aveludado) ou ainda uma escova de fibra de carbono anti-estática. Se cada vez que o vinil for executado você passar um pano seco, já evita de ter que lavar muitas vezes.
Quanto a limpeza de vinis desenvolvi um método prático e rápido para limpar e lustrar a sua coleção e outro método mais demorado e trabalhoso, porém mais eficiente. Na verdade recomendo primeiro realizar a "Lavagem de vinis" e na sequencia também fazer a "Limpeza de Vinis". Mas você também pode optar somente por um ou outro.
No primeiro Método de Lavagem de Vinis, eu não utilizo proteção do selo. Na verdade não acho essa proteção tão necessária, basta tomar cuidado para não ficar molhando o selo. Claro que a água corrente vai respingar no selo durante a lavagem e umedecer um pouco, mas o selo vai secar naturalmente, sem ajuda de secador (jamais use secador quente, morno ou frio).
No segundo método, eu já utilizo um sistema de potes com um parafuso para proteger o selo, porém é bem trabalhoso lavar o vinil dessa forma e parece que não rende. Por isso, vai de cada um optar ou não por proteger o selo. Além disso, é através do selo que você vai verificar de o vinil está seco por completo, pois se o selo estiver úmido significa que nem toda água evaporou da superfície do vinil. Procure sempre esperar o tempo certo para o vinil secar, não apresse a secagem com secador ou ferro com toalha quente ou qualquer coisa do tipo. Qualquer processo de secagem forçada pode danificar o vinil de forma muitas vezes irreversível.
No terceiro tópico, mostro o Método prático e rápido de Limpeza de Vinis. Esse método não serve para lavar vinis de goma-laca de 78 rpm, pois utiliza álcool isopropílico. Esses vinis são extremamente sensíveis a qualquer tipo de álcool, assim utilize apenas o Método de Lavagem com água corrente e detergente, com extremo cuidado ao manipular.
E por fim, ensino como lavar vinis em grande quantidade.
É válido ressaltar que não é aconselhável lavar vinil em dias muito úmidos ou em períodos chuvosos, pois a umidade dificulta o processo de secagem natural utilizado nos métodos.

Parte 3.1 - Lavagem de vinis - Água e detergente - Sem proteção do Selo
Esse método que descreverei a seguir é para aqueles que querem fazer uma limpeza mais profunda ou retirar fungos e sujeira impregnadas no vinil. Para quem não tem tempo de lavar periodicamente a coleção de vinis, recomendo o uso do Método de Limpeza.

Produtos:
  • Água; 
  • Detergente neutro;
  • Algodão hidrófilo ou esponja ultra-macia (jamais use esponja de cozinha);
  • Máscara;
  • Luvas de borracha;
  • Vasilha ou pote pequeno;
  • Escorredor de pratos de plástico com as entradas lixadas (pedaços de plástico podem riscar o vinil);
  • Plástico para descansar os vinis.
Produtos para lavagem de vinis. Foto: Diego Kloss
Método:
1) Coloque as luvas e máscara e ponha o vinil debaixo da água corrente da torneira e lave ambos os lados antes de pôr o detergente. A água corrente empurra toda a sujeira descolada com o detergente tensoativo e desengordurante, duas de suas essenciais qualidades.

Vinil debaixo da água corrente. Foto: Diego Kloss
2) Passe um pouco de detergente na superfície do vinil e use o algodão hidrófilo ou esponja ultra-macia para espalhar o detergente em movimentos circulares. 
Segundo a farmacêutica e diretora-executiva da Abipla (Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins) Maria Eugênia Proença Saldanha, os detergentes têm três grupos básicos de componentes: o primeiro é o dos tensoativos, responsáveis pela remoção da sujeira e pela formação da espuma; o segundo grupo é o chamado "builder", em que há fosfatos, com a função de manter a água alcalina para o tensoativo poder agir; no terceiro grupo estão os ingredientes auxiliares, como cor, perfume e amaciantes, que podem ser evitados na compra de produtos neutros ou transparentes. Esses ingredientes não contribuem com a função de limpeza. (Somente os componentes do primeiro e segundo grupos são os limpantes).

Detergente na superfície do vinil. Foto: Diego Kloss
3) Faça  movimentos em toda a extensão do vinil em ambos os sentidos, horário e anti-horário. Umedeça um pouco o algodão no pote com água, isso ajuda a espalhar o detergente. Se preferir usar o veludo sintético, enrole-o num pedacinho de isopor, mas examine-o para ver se não há defeitos de fabricação ou partículas sólidas nele aderidas que possam riscar o vinil, afinal o veludo é vendido ao ar livre nas lojas e sem proteção. Na verdade, prefiro o algodão hidrófilo retirado diretamente do rolo, é superseguro, livre de contaminações e outros possíveis problemas. O Algodão Hidrófilo é um produto de qualidade e feito para não soltar fibras ou "fiapos". Além disso, os "fiapos" de qualquer algodão são fibras longas e jamais se abrigariam nos sulcos até porque a água da torneira se encarrega de levar tudo que está em cima do sulco na hora do enxágue, assim como a agulha depois. A real prova disso é que depois de uma lavagem a agulha corre o lado inteirinho e chega limpa no afinal do vinil, sem nenhum "fiapo" agarrado.

Umedeça um pouco o algodão no pote com água. Foto: Diego Kloss
Movimentos em toda a extensão em ambos os sentidos. Foto: Diego Kloss
4) Repita o processo do outro lado do vinil.
5) Enxágue muito bem com água corrente os dois lados e passe o dedo depois até não sentir mais sinal de detergente. Isso ocorre quando seu dedo "trava" e não desliza mais sobre a superfície do vinil. Só a água corrente, depois de usado o detergente, é capaz de retirar e eliminar toda e qualquer sujeira que ficou no vinil. O processo pode e deve ser repetido enquanto houver ruídos ou sujeira na hora de tocar o vinil. Deixe o vinil escorrer um pouco.


Enxágue muito bem com água corrente. Foto: Diego Kloss
 Passe o dedo depois até não sentir mais sinal de detergente. Foto: Diego Kloss
6) Depois de retirar todo o detergente, coloque o vinil em um escorredor de pratos de plástico devidamente lixado. Um ventilador no ambiente ajuda na secagem, não virado diretamente nos vinis.
Nada de calor, jamais use secador de cabelo (nem em temperatura fria) ou mesmo água morna na lavagem de vinis, nem nunca seque o vinil diretamente ou indiretamente ao sol, pois eles com certeza irão empenar. Deixe secar por alguns dias na sombra dentro de casa em local de pouco movimento. 

Coloque o vinil em um escorredor de pratos. Foto: Diego Kloss
11) Depois retire-os com cuidado da secadeira, limpe-os com um pano especial de veludo (pode ser esses de limpar monitor) e coloque dentro do plástico novo ou em bom estado. Se achar necessário, troque a capa plástica interna e a capa velha vai para o lixo.

Limpe os vinis com um pano aveludado. Foto: Diego Kloss
Considerações: 
Lembre-se: só ponha para tocar os vinis lavados quando estiverem totalmente secos, pois a fusão da agulha-sulco se dá no momento da execução do toca-discos. Essa fusão é necessária para a qualidade da reprodução do som do vinil. 
Nunca use um chumaço de algodão antigo, feito em uma lavagem anterior. Se é adepto do "veludo sintético" para a lavagem, descarte-o sempre a cada lavagem. Ambos agregarão bactérias e fungos que poderão sujar e infectar o vinil. O meio ambiente ideal para a proliferação de fungos e bactérias é a umidade. Use sempre chumaços de algodão hidrófilos novos para cada lavagem. Para ter bastante algodão para esse fim, o ideal é adquirir o pacote grande.
Há vinis que tem uma sujeira muito "dura" de ser retirada. Ouça o vinil todo após a limpeza e fique atento, se na medida em que você for ouvindo for percebendo uma piora do som (médios fracos e rachados) ou sujeira se acumulando na agulha, faça nova lavagem, quantas vezes for necessário, até o vinil tocar o lado inteiro sem sujar a agulha. 
Nenhum dos dois métodos remove ou ameniza riscos do vinil, por isso tome cuidado.
Nada supera a lavagem artesanal, o toque das mãos, o exame com a ponta dos dedos com o vinil ainda molhado para saber se todo detergente saiu de cima do vinil. Esse método é o mais simples, perfeito e eficiente. 

Parte 3.2 - Lavagem de vinis - Água e detergente - Com proteção do Selo

Produtos:
Foto: Joaquim Martins Cutrim - limpezadevinis.blogspot.com
  • Água;
  • Detergente neutro;
  • Algodão hidrófilo ou esponja ultra-macia (jamais usar a esponja de cozinha);
  • Máscara;
  • Luvas de borracha;
  • Vasilha ou pote pequeno;
  • Escorredor de pratos de plástico com as entradas lixadas (pedaços de plástico podem riscar o vinil).
  • Dois potes de sobremesa do tamanho do selo do disco (10,5 cm de diâmetro);
  • Parafuso francês de 1/4 por 6 polegadas com rosca borboleta e uma roela;
  • Escorredor de pratos com as entradas lixadas (pedaços de plástico podem riscar o vinil).
  • Plástico para descansar os vinis.
Método:
1) Proteja o selo do vinil da seguinte forma: fure os potes de sobremesa e coloque a roela no parafuso francês e passe na seguinte ordem: pote 1 > vinil > pote 2 > rosca borboleta. Cuidado para não apertar demais.
2) Com os selos do vinil devidamente protegidos, siga as mesmas instruções do Método Sem a Proteção de Selo.

Máquina de lavar vinil
Defeitos na "limpeza" da máquina:
1) Não tem água corrente sobre o vinil, que é importantíssimo. No método acima existe o "Efeito Físico" de retirada da sujeira para fora do vinil com água, após a passagem do algodão com a solução.
2) Essa máquina espalha um líquido que é retirado de maneira incompleta, via aspiração.
3) Aquela escovação (que não é com algodão) é prejudicial aos delicados sulcos.
4) Não limpa bem a parte lisa junto ao selo, onde não há gravação.
5) Fica sujeira no disco agarrada ao líquido que não seca bem e deixa uma película extremamente prejudicial na hora de tocar o vinil. O policloreto de vinila, que é o material do disco, tem que estar livre de água e qualquer líquido remanescente. A sucção não retira todo o líquido, o que impede o contato puro agulha+vinil. Com qualquer líquido, a agulha comporta-se como um "cinzel" (Espécie de estilete) e em função do deslizamento ajudado por esse "lubrificante",  cortará literalmente as cristas de alta freqüência das ondulações do vinil. Além de ser muito cara.
Adaptado do site limpezadevinis.blogspot.com, do audiólogo Joaquim Martins Cutrim.

Parte 3.3 - Limpeza de Vinis - Solução caseira

Produtos:
  • Água;
  • Álcool isopropílico*; (Não use esse produto para lavar vinis de goma-laca de 78rpm. Quem for muito alérgico opte pelo outro método e não use esse produto)
  • Detergente;
  • Algodão hidrófilo; 
  • Luva de borracha;
  • Máscara;
  • Frasco com borrifador.
  • Escorredor de pratos com as entradas lixadas (pedaços de plástico podem riscar o vinil) e/ou secadeiras.
  • Plástico para apoiar os vinis na limpeza.
* Jamais use álcool comum, silicone, sabão de coco, acetona, grafite líquido, etc. Esses produtos são corrosivos e danificam os sulcos do vinil. Já veremos isso mais adiante.


Produtos para limpeza de vinis. Foto: Diego Kloss
Proporção da solução
Foto: Diego Kloss

Solução caseira:
1) Coloque as luvas e a máscara. A máscara deve ser colocada porque o álcool tem um cheiro forte e as luvas para proteger a pele.
2) Encha o borrifador na seguinte proporção: 1/2 de álcool isopropílico, 1/2 água e uma colher de chá de detergente ou menos.
3) Feche o frasco e agite bem, você vai notar que a espuma produzida pelo detergente vai sumir aos poucos por causa do álcool. O álcool isopropílico limpa e evapora mais rápido e não é corrosivo e o detergente retira a gordura presente do vinil. 
4) Coloque o vinil numa superfície lisa e sem sujeira.
5) Borrife em toda a superfície do primeiro lado do vinil. Cuidado para não borrifar no selo, o álcool isopropílico pode manchar.

Coloque o vinil numa superfície lisa e sem sujeira. Foto: Diego Kloss
Borrife em toda a superfície. Foto: Diego Kloss
6) Passe o algodão hidrófilo em movimentos circulares para a solução espalhar no vinil. Não pressione demais a mão sobre o vinil, isso pode afundar os sulcos e danificar o vinil.

Passe o algodão hidrófilo em movimentos circulares. Foto: Diego Kloss
7) Segure levemente o vinil e espalhe a solução em sentido horário e anti-horário até sumir. Lembre-se de limpar as partes lisas também.

Segure levemente o vinil e espalhe a solução em sentido horário até sumir. Foto: Diego Kloss
8) Repita o processo do outro lado do vinil.
9) Se necessário, passe um pouco de água com algodão hidrófilo para retirar o excesso de álcool isopropílico.
10) Deixe o vinil secando por um ou mais dias em uma escorredora de pratos dentro de casa. 

Deixe o vinil secando por um ou mais dias. Foto: Diego Kloss
11) Depois retire-os com cuidado da secadeira, limpe-os com um pano especial de veludo (pode ser esses de limpar monitor) e coloque dentro do plástico novo ou em bom estado.

Limpe os vinis com um pano aveludado. Foto: Diego Kloss
12) Para remoção de fungos, mofo e sujeiras maiores, recomendo, antes de aplicar álcool isopropílico, lavar o vinil com água corrente, ver Método de Lavagem.

Agora seu vinil estará limpo e pronto para ser tocado sem os ruídos decorrentes da sujeira.
Lembro que o álcool isopropílico não tem água, é álcool puro, mas se não retirado adequadamente quebra as sutilezas das ondulações dos sulcos do vinil e resseca o material plastificante que dá resistência a estes sulcos.

Parte 3.4 - Lavagem e Limpeza de Vinis em grande quantidade 
Se você precisa limpar uma quantidade grande de vinis mofados e sujos aconselho você usar o Método de Lavagem de Vinis  e na sequência o Método de Limpeza de Vinis, mas nessa parte irei explicar detalhadamente como você pode fazer isso.

Produtos:
  • Água; 
  • Detergente neutro;
  • Esponja muito macia para a lavagem (se não vai muito algodão; jamais usar a esponja de cozinha);
  • Máscara;
  • Vasilha ou pote pequeno;
  • Secadeiras;
  • Pedaços de isopor de espessura de 3 a 5 cm para separar os vinis;
  • Plástico para descansar os vinis.
Método:
1) Antes de tudo você precisa fabricar secadeiras. Tem várias formas de fazer secadeiras, no meu caso eu peguei pedaços de ferro e montei as secadeiras. Mas você pode pegar uma madeira lixada para a base, fazer um buraco e passar por ele um pedaço de ferro com a ponta em forma de "L", com o diâmetro do buraco do vinis, vai da sua criatividade. Assim os vinis podem ser colocados um em cima do outro com o pedaço de isopor entre eles.

Secadeira. Foto: Diego Kloss
2) Depois de prontas as secadeiras, você vai fazer uma seleção dos plásticos externos e internos que ainda podem ser utilizados, mas se você preferir troque todos. No meu caso, como não eram vinis muitos caros, resolvi manter alguns plásticos. Fica a seu critério.
3)  Agora é hora de colocar a mão da massa. Sempre lave vinis de cinco em cinco e no máximo de 10 em 10. Para lavados você pode deixá-los empilhados numa base de plástico (jamais empilhe vinis molhados), mas sempre tome cuidado para não atritar um sobre o outro e estragar o selo, se preferir lave de um em um ou use o escorredor de pratos para descansar o vinis lavados antes de colocar na secadeira coo na imagem abaixo.
4)  Utilize o Método de Lavagem de Vinis. Dessa vez eu usei a esponja ultra-macia pois ela faz mais espuma e rende mais na limpeza. Lembre de enxaguar bem para retirar todo o sabão depois.






5)  Depois de lavado coloque um pedaço de isopor na secadeira e depois intercale um vinil e um pedaço de isopor até preencher a secadeira.





Intercale um pedaço de isopor e um vinil a preencher a secadeira - Foto: Diego Kloss
6)  Coloque os vinis para secar na sombra, longe de luminosidade e calor. Você pode usar um ventilador com velocidade moderada para facilitar a secagem.
7)  Depois de um dia ou mais secando retire vinil por vinil e aplique o método de Limpeza de Vinis em cada um e coloque da mesma forma na secadeira.
8)  Depois de mais um dia ou mais secando, retire-os com cuidado da secadeira, limpe-os com um pano especial de veludo (pode ser esses de limpar monitor) e coloque dentro do plástico novo ou em bom estado.
Depois de mais um dia ou mais secando. Foto: Diego Kloss
9) Por fim coloque os vinis um a um nas respectivas capas e guarde-os.Apesar de ser bem trabalhoso e demorado, esse método funcionou muito bem.

Parte 4 - Vilões do Vinil - Produtos, itens e procedimentos NÃO recomendados
Aqui temos uma lista de produtos, itens e substâncias que são usados por leigos para lavar vinis e que evidentemente podem causar danos.


Vilões do Vinil. Foto: Diego Kloss
1) Cola:  já viram o Método mágico de limpar vinis espalhando cola e deixando secar, pois então, jamais façam isso. A cola contém abrasivos que danificam o vinil e destrói as sutilezas das cristas de alta freqüência além disso, deixa resíduos nos sulcos do vinis que irão danificar a agulha.
2) Limpa pneusressecam o vinil e é abrasivo, destruindo as sutilezas da frequências mais altas.
3) Graxa de sapatodeixa resíduos no vinil, danifica a agulha e o som.
4) Shampoo e sabonete: contém Lauril Éter Sulfato de Sódio e o sabonete glicerina. Se for um shampoo barato, resseca o vinil, se é caro, contém sobre-engordurantes, mantenedores de espuma e filmógenos, que aderem ao cabelo e funcionam como película envolvendo-o para evitar a saponificação. E se é película, vai prejudicar a fusão agulha cristas dos sulcos, fator essencial e previsto em engenharia de áudio para a produção correta do som. Além do "efeito escorrega", que é destrutivo das altas e baixas frequências contidas no sulco. O mesmo serve para o sabonete.
5) Q-boa: ressecam o vinil e é extremamente abrasivo, além de descolorir o selo.
6) WD-40: ressecam o vinil e é extremamente abrasivo, serve apenas para metais.
7) Pinho sol: contém formaldeído, que é um Formol, extremamente agressivo. Contém também Quaternário de Amônio, agressivo ao PVC. Essa substância destrói as sutilezas das cristas de alta freqüência, além de não limparem gordura e outros resíduos.
8) Grafite líquido ou em pó: deixa resíduos no vinil, danifica a agulha e o som.
9) Silicone: prejudica o contato do vinil com a agulha. Essa substância cria uma película e vai prejudicar a fusão da agulha com o sulco, fator essencial e previsto em engenharia de áudio para a produção correta do som.
10) Querosene e tiner: destroem o vinil e a agulha pois são extremamente abrasivos, jamais usem esses produtos. Eliminarão primeiro os registros com o atrito da agulha, depois os sulcos do vinil.
11) Massa de polir automóveis ou cera automotiva: o pior já citado pois contém abrasivos fortes feitos para desgastar. Além disso, deixará resíduos e um filme impedindo a fusão agulha vinil no momento da leitura, o que prejudica o som e destrói as cristas de alta freqüência.
12) Veja Multi-uso: ressecam o vinil e é abrasivo.
13) Sabão de coco: deixa resíduos de gordura, já que são feitos disso. A gordura está apenas quimicamente tratada, mas não deixa de ser gordura. Atrai bactérias e fungos, impedindo a fusão agulha e vinil no momento da leitura e gerando prejuízo à fidelidade do som. Lavar vinil com sabão de coco é absolutamente errado. Todo sabão, não só o de coco, é feito de gordura saturada que mesmo com o enxague não sairá por completo do vinil. Alem disso, a água não tem poder desengordurante como o detergente. Sendo assim, a gordura restante invisível aos olhos, servirá de alimento para bactérias e fungos, sujando mais rapidamente o vinil. 
14) Detergente com aroma: o detergente não-neutros possuem muito químico que pode prejudicar os sulcos do vinil. Segundo a farmacêutica e diretora-executiva da Abipla (Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins) Maria Eugênia Proença Saldanha, os detergentes têm três grupos básicos de componentes: o primeiro é o dos tensoativos, responsáveis pela remoção da sujeira e pela formação da espuma; o segundo grupo é o chamado "builder", em que há fosfatos, com a função de manter a água alcalina para o tensoativo poder agir; no terceiro grupo estão os ingredientes auxiliares, como cor, perfume e amaciantes, que podem ser evitados na compra de produtos neutros ou transparentes. Esses ingredientes não contribuem com a função de limpeza. (Somente os componentes do primeiro e segundo grupos são os limpantes).
14) Álcool comum: ressecam o vinil e é abrasivo, destruindo as sutilezas da frequências mais altas.
15) Acetona e fluido de isqueiro: altamente corrosivos. Essas substâncias destrói as sutilezas das cristas de alta freqüência, além de não limparem gordura e outros resíduos.
16) Fluídos anti-estática: criam um filme impedindo a fusão agulha vinil no momento da leitura.
17) Lustra-móveis: deixa resíduos no vinil, danifica a agulha e o som. Deve ser usado somente para limpeza de capas.
18) Esponjas de cozinha: podem vir com partes sólidas imperceptíveis que produzirão micro arranhões nos sulcos e nas "lands".
19) Escova de dentes: o mesmo que já foi dito para a esponja, com o agravante de plástico das cerdas ser mais duro e agregar cristais, que arranham. 
20) Esponja mágica: o mesmo que já foi dito para a esponja comum com o agravante de não se saber qual é o produto químico usado, que pode ser agressivo ao Policloreto de Vinila (PVC).
21) Varal: prender o vinil com prendedor de roupa para secagem? Arranha evidentemente. Se ao ar livre, o calor do sol vai empenar o vinil. O correto é secar na sombra, protegido do ar livre.
22) Disco totalmente molhado tocando para limpar: o efeito escorrega causado pela água faz com que a agulha vire um cinzel e corte ou desbaste as cristas das altas frequências e finalmente as outras em caso de insistência.
23) Secador de cabelo para secar o vinil:  já disse anteriormente mas vou repetir, nada de calor, jamais use secador de cabelo (nem em temperatura fria) ou mesmo água morna na lavagem de vinis, nem nunca seque o vinil diretamente ou indiretamente ao sol, pois eles com certeza irão empenar. Deixe secar por alguns dias na sombra dentro de casa em local de pouco movimento.

É bom lembrar!
A sensação de limpeza sem a presença dos "pequenos chiados" é uma armadilha. Seu vinil está gradativamente sendo destruído. 

Parte 5 - Limpeza da Capas e Selos - Introdução
Quando os vinis são comprados em sebos ou doados, costumam vir muito sujos e com muita poeira. Se o problema for só esse, nada que uma boa limpeza do vinil como a descrita acima não resolva.
Agora em relação à capa, temos três métodos o primeiro usando somente água, o segundo usando um pouco de álcool isopropílico e o terceiro usando lustra-móveis.

Parte 5.1 - Limpeza da capas - Somente com água ou com álcool isopropílico diluído

Produtos:
  • Água;
  • Álcool isopropílico*; Quem for muito alérgico opte por usar apenas água e não use esse produto.
  • Algodão hidrófilo ou papel toalha lavável; 
  • Luva de borracha; 
  • Máscara;
  • Plástico ou espuma firme para apoiar as capas na limpeza.
  • Vasilha ou pote pequeno.
Jamais use álcool comum, silicone, sabão de coco, acetona, grafite líquido, etc. Esses produtos são corrosivos e danificam a capa.


Produtos para limpar as capas. Foto: Diego Kloss
1) Coloque as luvas e a máscara. A máscara deve ser colocada porque o álcool tem um cheiro forte e as luvas para proteger a pele. Além disso, evitam o contato com poeira, ácaros e fungos provenientes de capas velhas.
2) Encha a vasilha somente com água ou adicione uma tampa de álcool isopropílico, dependendo do estado da capa.
3) Molhe a ponta do algodão ou papel toalha e espalhe levemente sobre toda a extensão da capa. Não pressione ou esfregue o algodão ou papel pois a capa pode se sensibilizar e soltar tinta.

Molhe a ponta do algodão. Foto: Diego Kloss
Espalhe levemente sobre toda a extensão da capa. Foto: Diego Kloss
3) Faça o mesmo procedimento do outro lado da capa e, no caso de álbuns duplos ou triplos, passar o algodão em toda a capa, inclusive das dobras.
4) Faça a limpeza também na parte interna da capa.
5) Coloque os capas para secar na sombra, longe de luminosidade e muito calor. Você pode usar um ventilador com velocidade moderada para facilitar a secagem. Depois de umas duas horas, as capas já podem ser recolhidas.
6) Insira as capas nos Protetores Externos de sua preferência conforte descrito na Parte 2.

Parte 5.2 - Limpeza da capas - Lustra Móveis

Produtos:
  • Lustra móveis; Quem for muito alérgico opte por usar apenas água e não use esse produto.
  • Algodão hidrófilo ou papel toalha lavável; 
  • Luva de borracha; 
  • Máscara;
  • Plástico ou espuma firme para apoiar as capas na limpeza.
Jamais use álcool comum, silicone, sabão de coco, acetona, grafite líquido, etc. Esses produtos são corrosivos e danificam a capa.
Produtos para limpar as capas. Foto: Diego Kloss
1) Coloque as luvas e a máscara. A máscara deve ser colocada porque o lustra-móveis tem um cheiro forte e as luvas para proteger a pele. Além disso, evitam o contato com poeira, ácaros e fungos provenientes de capas velhas.
2) Adicione uma pequena quantidade de lustra móveis no algodão ou papel toalha.

Foto: Diego Kloss
3) Espalhe levemente sobre toda a extensão da capa. Não pressione ou esfregue o algodão ou papel pois a capa pode se sensibilizar e soltar tinta.

Foto: Diego Kloss
3) Faça o mesmo procedimento do outro lado da capa e, no caso de álbuns duplos ou triplos, passar o algodão ou papel toalha em toda a capa, inclusive das dobras.
4) Faça a limpeza também na parte interna da capa e os encartes também, cuidado com os mais finos para não amassar.

 Faça a limpeza também na parte interna. Foto: Diego Kloss
Como fica o papel após a limpeza. Foto: Diego Kloss
5) Coloque os capas para secar na sombra, longe de luminosidade e muito calor. Você pode usar um ventilador com velocidade moderada para facilitar a secagem.  Além disso, usar o varal para distribuir melhor as capas, só cuidado para os grampos não marcarem a capa, por isso se preferir deixe as capas secando em uma mesa. Depois de umas duas horas, as capas já podem ser recolhidas.
6) Insira as capas nos Protetores Externos de sua preferência conforte descrito na Parte 2.
Considerações
Se não é só poeira mas uma contaminação por fungos, nem adianta usar naftalina, vinagre ou água sanitária diluída com água. Só há um jeito: plastificar a capa, frente e verso com papel contact cristal adesivo ou pagar uma plastificadora profissional. Em todos os casos, será preciso abrir a capa, descolando-a.
Capas muito antiga ou de papel que estão se decompondo NÃO aconselho passar nem água e nem álcool isopropílico, pois ela pode se desmanchar. Nesse casos, passe somente o lustra-móveis ou plastifique a capa.
Capas de vinis Mono que já são plastificadas recomendo só limpar com água e se necessário um pouco de álcool isopropílico.

Parte 5.3 - Limpeza da Selos
Em relação ao selo, você pode passar apenas um pano com água. No próprio processo de lavagem acaba caindo um pouco de água do selo, mas lembre-se de deixar secando o vinil enquanto o selo estiver úmido. O fungo sobrevive justamente à custa de água, que é existente em álcoois que não sejam isopropílicos. Cuidado com esse também, pois ao utilizá-lo em demasia sobre o selo no método de limpeza, a tinta pode sensibilizar-se com o álcool e acabar saindo do algodão.

Parte 6 - Restauração de capas
Um grande problema para os colecionadores são as capas que estão descoladas, rasgadas, riscadas e/ou com adesivo. Primeiramente eu não aconselho comprar vinis com esses problemas na capa, mas em todo caso darei alguns conselhos para você dar uma ajeitada.

Capas descoladas com a aba inteira
Quando a capa estiver descolada recomenda-se usar apenas fita dupla-face. Não use cola branca, cola-print, fita-crepe, durex, ou qualquer outro material. A fita dupla face vai ter que trocada depois de muito tempo, pois vai se decompor.

Capas descoladas sem a aba rasgada
Quando a capa estiver descolada sem a aba você pode refazer a aba com um papelão fino e fixar com fita dupla-face nas duas partes da capa. Não use durex na parte externa pois amarela e envelhece com o tempo.

Capas rasgadas
Fixe as partes internas usando fita crepe apenas na parte interna. Não use durex na parte externa pois amarela e envelhece com o tempo. A fita crepe vai ter que trocada depois de muito tempo, pois vai se decompor, porém é mais fácil de retirá-la.

Capas pretas com pontos brancas
Nesses casos, você pode usar uma caneta de escrever em CD preta para cobrir cuidadosamente os pontos brancos da capa.

Capas com adesivo
O adesivo pode ser removido pigando um pouco lustra-móveis sobre ele e esfregando com o dedo até sair, porém, a cola do adesivo vai ficar sobre a capa de qualquer jeito. Você pode tentar usar a técnica do vapor da chaleira para soltar a cola do adesivo, mas ainda sim vai ficar um pouco da cola.
Opte por não comprar vinis com adesivos.

Capas assinadas
A tinta de caneta é irreversível, tentativas com qualquer produto vão manchar ou descolorir a capa. Por isso, opte por não comprar capas com assinaturas e dedicatórias escritas a caneta.