sábado, 15 de abril de 2017

Tutorial 02 | Como desempenar discos de vinil

Para a segunda matéria da seção de Tutoriais, escolhi um tema muito recorrente nos fóruns, grupos e também nas dúvidas recebidas na nossa fanpage e email: como desempenar um disco de vinil?
Esse assunto já foi tema em nossa páginas de dicas, mas resolvi acrescentar mais algumas informações,
Mas antes de explanar acerca do assunto, é importante fazer algumas considerações:
  • Lembro que os métodos são apenas sugestões, assim a escolha por esses segue por sua responsabilidade. O blog não se responsabiliza por qualquer dano material ocasionado pela aplicação incorreta das instruções e procedimentos.
  • É importante lembrar que o método descrito serve apenas para amenizar empenos leves.
  • O método só serve para desempenar apenas um vinil. Se você tiver mais vinis empenados vai precisar de tempo e paciência. Por isso é sempre importante saber como manter sua coleção de vinis.
  • É importante salientar que não sou audiófilo, nem engenheiro de som, por isso o que você vai encontrar aqui é um resumo do que eu encontrei na web e conversei com colecionadores e vendedores de vinil, além é claro, da minha própria experiência.
  • Esta página está em constante atualização, por isso se você tiver dúvidas ou sugestões, mande um email ou deixe um comentário.

1) Porque os vinis empenam?
Os vinis empenam sobretudo por três motivos: armazenamento inadequado, processo de prensagem e temperatura elevadas.

Armazenamento inadequado - Empeno leve

O primeiro grande erro cometido por alguns colecionadores é empilhar os vinis na horizontal. Esse tipo acomodação faz com o que o vinil que está na parte de baixo da pilha seja prensado pelo peso dos demais. Com o tempo, essa disposição faz com o esses vinis que estão na parte de baixo sofram empenos leves e fiquem com uma curvatura.
Outros colecionadores até armazenam os vinis na vertical, porém não escolhem a caixa adequada. Algumas caixas possuem os cantos internos arredondados, de forma que vinil que fica encostado nesse canto irá sofrer um empeno progressivo com o peso dos demais. Por isso, se você for armazenar vinis em caixas, procure aquelas com os cantos internos retos e com capacidade de no máximo uns 40 vinis.
Na maioria da vezes, o empeno leve é possível de se reverter com tempo e muita paciência como veremos a seguir.


Quando preciono o centro do vinil é possível ver uma leve curvatura.

sábado, 8 de abril de 2017

Curitiba terá o seu primeiro Record Store Day na Nova Garagem

Para comemorar os cinco anos da Nova Garagem, a Feira Vinil Vivo realizará o 1º Record Store Day Curitiba que será, como manda a tradição, no terceiro sábado do mês de abril, no dia 22. O encontro terá expositores de São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Paraná, além de opções de cervejas, food trucks e sobremesas colombianas.
A história nos conta que o Record Store Day nasceu em 2007 como uma celebração da cultura protagonizada pelas diversas lojas de discos independentes dos Estados Unidos e hoje já abrange o mundo todo. A principal característica do Record Sore Day é a avalanche de novidades e o grande número de discos em promoções - justamente para dar opções aos apreciadores da boa música. Inúmeros lançamentos de álbuns, EPs e bootlegs, feitos no exterior serão novidades nesta primeira edição curitibana.


sábado, 1 de abril de 2017

Vinil na Live 01 | Como começar sua coleção e o mercado do vinil

Para o primeiro Vinil na Live, conversamos com Rômulo Troian da Luvnyl sobre a paixão por vinil, abordando entre outros assuntos: como começar uma coleção de vinil, mercado do vinil, qual toca-discos adquirir, preços dos discos, entre outros assuntos.
Confira como foi:

 

Aguardem os próximas Lives, parciticipem e também nos sigam nas redes sociais:
https://www.facebook.com/devoltaparaovinil/
https://www.facebook.com/luvnylapp/

terça-feira, 21 de março de 2017

Conexões 25 | Neigmar da Lado A Discos entrevista Lari Basilio

Para a vigésima entrevista na seção Conexões, nosso parceiro Neigmar da Lado A Discos conversou com a guitarrista, compositora e produtora musical Lari Basilio.
Nascida em 1988, em São Paulo, Lari Basilio é guitarrista por vocação. Desde criança já demonstrava grande amor e interesse pela música e, aos 4 anos de idade, começou a estudar órgão.
Alguns anos depois, seu pai lhe ensinou os primeiros acordes de violão, suficientes para despertar em Lari Basilio a paixão pela guitarra. Desde então, começou a estudar sozinha, tocando em igrejas evangélicas e consequentemente, participando de bandas. Amante da música instrumental, Lari Basilio passou a  compor suas próprias músicas.
Em 2011, gravou seu primeiro EP instrumental, entitulado “Lari Basilio”, que contém 5 faixas, lançado em abril de 2012, marcando oficialmente o início de sua carreira solo. Produzido por Lampadinha, o trabalho ainda conta com as participações de Felipe Andreoli (Angra) e Adriano Daga (Malta).

Lari Basilio vem se destacando pela sua técnica e versatilidade, inovando a música instrumental com seu estilo de tocar diferenciado, prova disso, é o reconhecimento público do seu vídeo postado para o 1º Concurso Cultural Santo Angelo de Música Instrumental Gospel, que obteve a maior visualização em tempo recorde.
Foi também vencedora do Samsung E-Festival 2014, na categoria Instrumental.
Lari Basilio lançou um novo trabalho o DVD e CD "The Sound of My Room" (2015). Atualmente está Los Angeles trabalhando na carreira internacional.
Informações extraídas do site www.laribasilio.com

Nei: 1 - Quando você percebeu que era uma virtuose na guitarra?
Lari Basilio: Não acho que sou virtuose (risos). Apenas me considero uma pessoa muito feliz em poder fazer o que gosto. As horas de dedicação na guitarra sempre foram por prazer, então penso que o resto é apenas consequência disso..

quinta-feira, 16 de março de 2017

21ª Feira do Vinil no Canal da Música

No dia 11 de março aconteceu a 21ª Feira do Vinil no Canal da Música.
Nessa edição, além da feira do vinil, aconteceram a feira gastronômica, exposição de carrinhos de Street Sled, Planetário, além de vários shows de bandas da capital.
Foram 54 expositores do Paraná, Santa Catarina e São Paulo que comercializam cerca de 35 mil títulos. Alguns velhos conhecidos e outros vendedores novos, ambos trouxeram um material bem diversificado para feira.

Fotos: Diego Kloss
Novamente fui somente no período da tarde e não consegui visitar a grande maioria dos expositores.
Dessa vez, fiquei bem assustado com os preços praticados por alguns vendedores, mas isso com certeza já refletiu nas vendas, afinal a feira estava bem tranquila e pouco movimentada.
Na verdade, o pessoal reclamou bastante dos preços e dessa vez eu não consegui comprar muita coisa. O boom do vinil fez com que alguns vendedores perdessem a noção e super valorizassem alguns álbuns.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Toca-discos 07 | Como limpar a agulha do toca-discos

Vários leitores já me fizeram perguntas sobre como fazer a limpeza correta da agulha de um toca-disco e resolvi reunir alguns pontos já explanados em outros posts do blog e complementar com novas informações.
O cuidado com a agulha é essencial para preservar a vida útil dos seus vinis e exige bastante conhecimento principalmente sobre os componentes do sistema, regulagem e nivelamento de toca-discos, possíveis problemas, entre outros assuntos já abordados na seção Toca-discos.
Lembro novamente que os métodos e produtos aqui citados são apenas sugestões, assim, a escolha por esses segue por sua responsabilidade. O blog não se responsabiliza por qualquer dano material ocasionado pela mau uso dos produtos e/ou aplicação incorreta das instruções.
É importante salientar que não sou audiófilo, nem engenheiro de som, por isso o que você vai encontrar aqui é um resumo do que eu encontrei na web e conversei com colecionadores e vendedores de vinil, além é claro, da minha própria experiência.
Esta página está em constante atualização, por isso se você tiver dúvidas ou sugestões mande um email ou deixe um comentário.

Limpeza de agulhas
As agulhas dos toca-discos são feitas de um material bem duro, como a safira ou diamante e recebem um tratamento para que sua superfície fique extremamente lisa. No caso de discos estéreo, as laterais da agulha apoiam-se nas laterais do sulco. Quando a agulha fica gasta, ela adquire faces pontiagudas que destroem facilmente os sulcos do disco e precisam ser substituídas.
Além de lisa, a agulha é muito leve e pequena. Ela é montada no cantilever, uma pequena e leve haste metálica presa a um suporte de borracha bem macia. Esse mecanismo permite que a agulha percorra a trilha do sulco sem danificá-lo.

Agulha suja
Agulha limpa
Na realidade a agulha do toca-discos não suja. O que ocorre na verdade é que, em função da energia estática gerada pelo atrito, há um acúmulo na base da agulha de pequenas partículas de pó existente no vinil e em suspensão no ar, formando uma espécie de pluma.
Se tiver gordura, óleo, misturados com estas partículas, forma-se uma sujeira mais dura e difícil de ser removida. O óleo e a gordura normalmente são provenientes do manuseio incorreto na hora de tirar o vinil da capa e colocar no toca-discos.
Por isso, é importante primeiro verificar que tipo de sujeira está na agulha. Se for uma sujeira leve um pincel macio fino seco remove facilmente a sujeira. No caso de uma sujeira mais dura, existem alguns métodos e produtos que podemos utilizar para facilitar a remoção.